Vídeo: gato obeso aprende a abrir portas para fugir da dieta; dona coloca cadeado na geladeira - Pet é pop

Vídeo: gato obeso aprende a abrir portas para fugir da dieta; dona coloca cadeado na geladeira

Vídeo: gato obeso aprende a abrir portas para fugir da dieta; dona coloca cadeado na geladeira
Vídeo: gato obeso aprende a abrir portas para fugir da dieta; dona coloca cadeado na geladeira
Vídeo: gato obeso aprende a abrir portas para fugir da dieta; dona coloca cadeado na geladeira (Foto: Reprodução/TikTok)

O gato obeso Keith virou uma estrela das redes sociais depois que sua dona, Sara Matthews, começou a filmar as travessuras do felino.

Veja também:

+ Veja os benefícios do atendimento especializado para a saúde do seu gato
+ 4 dicas preciosas para esticar ao máximo a vida do seu pet
+ Vídeo: Para proteger o ‘seu’ cão, gato agride colega de espécie

Em um dos vídeos, Keith aparece abrindo a porta de sua casa para ir atrás da geladeira. Preocupada que o gato ganhasse mais peso e comesse tanto que passasse mal, Sara teve que colocar fechaduras à prova de crianças em sua geladeira para impedir que Keith abrisse-a.

@keith_the_cat_cow Time to do some sketchy s*!t #keiththecatcow #catsoftiktok #chonky #funny #cats #sillycat ♬ original sound – Superginger

“No início, ele entraria quando você abrisse, e eu estava tão preocupada que ele ficasse preso sem que percebêssemos. À medida que avançava, tivemos que colocar mais e mais fechaduras em todos os armários com comida dentro”, disse a assistente pessoal de 47 anos. Atualmente, Keith está pesando incríveis 10 kg, o peso de um cachorro de tamanho médio.

Mesmo após algumas tentativas de dietas rigorosas para fazer o felino perder peso, Keith sempre escapava e encontrava comida em outro lugar.

“Imediatamente os veterinários o colocaram em uma dieta com comida veterinária, e nós compramos comedouros para nossos outros gatos, o que significava que só eles podiam abri-la por causa de um chip em suas coleiras”, contou Sara.

“Ele apenas continuou crescendo. Descobrimos que ele estava vasculhando as lixeiras dos vizinhos porque achava que não estava sendo alimentado o suficiente em casa”, disse. “Tivemos que colocar etiquetas nele pedindo às pessoas que não o alimentassem.”

Quando Sara mudou de casa, ela decidiu que era melhor que Keith fosse um gato doméstico a partir de então para impedi-lo de se envenenar com comida recolhida, mas isso significava que ele se tornou menos ativo.

“Gastamos dezenas de milhares de libras com ele ao longo dos anos. Ele tomou muitos medicamentos em seu primeiro ano, tentando resolver os problemas com seus olhos e ouvidos quando era um filhote”, relembrou. “A certa altura, tínhamos comida feita especialmente para ele, pois ele tinha um problema urinário e a comida normal para isso é tão rica em calorias que não podia arriscar que comesse.”

Sara contou que fez muitos exames de sangue para descobrir se a obesidade de Keith tinha relação com alguma doença subjacente, mas todos deram negativo.

“Há uma chance de que seja um problema neurológico, mas custaria milhares e milhares de libras para fazer esses testes, e o seguro dele não cobre isso”, explicou Sara. “Mesmo se eles nos dissessem que há algo errado com seu cérebro, não haveria tratamento para isso.”

Sara pensa que o principal problema de Keith é um círculo vicioso: quando ele toma antibióticos, isso lhe causa mais problemas estomacais, então ele precisa comer um estimulante do apetite para ter vontade de comer, o que agrava os problemas de peso.

Keith pode estar limitado a 50g de comida por dia, mas ele ainda pode mostrar grande determinação quando se trata de complementar sua dieta por meios furtivos.

E embora ele tenha mais do que o dobro do tamanho de um gato adulto padrão, seu tamanho não o impediu de ser feliz e ativo, e ele adora brincar com a filha de Sara, Charlie, que tem autismo.

“Ele é um gato muito feliz. Eu não acho que ele vê seu peso como um problema. Ele praticamente vive uma vida normal de gato. Keith é muito mais enérgico do que meus outros dois gatos”, ressaltou Sara.

E a relação de Keith com a filha de Sara é muito benéfica para ambos. “Charlie tem autismo e Keith é seu melhor amigo desde que ele voltou para casa. Ele está ao lado dela o tempo todo, confortando e brincando com ela.”

  • Back to top