Usuários dispensam maconha, cão come e passa noite entre a vida e a morte - Pet é pop

Usuários dispensam maconha, cão come e passa noite entre a vida e a morte

Usuários dispensam maconha, cão come e passa noite entre a vida e a morte
Usuários dispensam maconha, cão come e passa noite entre a vida e a morte
Usuários dispensam maconha, cão come e passa noite entre a vida e a morte (Foto: Reprodução/Instagram)

O cachorro de uma família do Canadá teve que passar a noite em uma clínica veterinária de emergência após consumir maconha durante um passeio.

Veja também:

Cães adoecem após comer maconha em gramados de cidade no Reino Unido
Willie Nelson lança produtos para pets à base de substância presente na maconha
Saiba o que fazer para que o seu cão pare de comer grama

Hailey Deller-Hadzi e sua mãe Nancy levaram seu Labrador de nove anos, Bear, para uma caminhada por volta da 13h da tarde, no domingo, ao longo do canal perto da Ponte Rodoviária de Varsóvia.

Cerca de 30 minutos depois de voltarem para casa, eles perceberam que algo estava errado. “De repente, suas pernas traseiras começaram a tremer e ele teve problemas para se levantar. As coisas pioraram progressivamente nos 35 minutos seguintes e então chamei o veterinário”, disse Deller-Hadzi ao The Peterborough Examiner.

Depois que Bear foi levado para a clínica de emergência veterinária, Deller-Hadzi disse que teve que ajudá-lo a sair do carro para entregá-lo ao técnico, pois ele não conseguia mais ficar de pé sozinho e sua cabeça balançava para cima e para baixo.

Cerca de 10 minutos depois de estar dentro da clínica, Deller-Hadzi disse que recebeu um telefonema do veterinário que disse que ele tinha testado positivo para THC.

“Eles deram a ele uma agulha para ajudar com a náusea e então nos perguntaram se poderiam conectá-lo a uma intravenosa porque estavam preocupados que ele ficasse desidratado por não estar comendo ou bebendo”, disse Deller-Hadzi.

A família teve então duas opções: monitorar Bear durante a noite por conta própria ou mantê-lo na UTI da clínica. Optaram por mantê-lo na UTI.

Desde que a maconha foi legalizada no Canadá em outubro de 2018 e ainda mais desde o início da pandemia de Covid-19 em março, a clínica veterinária que tratou Bear viu um aumento no número de casos de toxicidade por maconha, de acordo com Joanne Pidgeon, uma técnica veterinária registrada na clínica.

Dois técnicos veterinários de outra clínica também disseram que viram um número crescente de animais sendo trazidos como resultado da toxicidade da maconha. Embora nenhum animal que tenha sido trazido para sua clínica tenha morrido, pode ser fatal, disse Pidgeon.

Pidgeon recomenda que as pessoas não joguem maconha ou outras substâncias ao ar livre. “As pessoas precisam garantir que manterão seus suprimentos longe de animais de estimação”, acrescentou ela.

“As pessoas precisam levar em consideração o fato de que muitas pessoas usam as trilhas locais”, disse Deller-Hadzi. “Guarde em sua casa, se for fazer. Nosso cachorro quase morreu e tenho certeza de que outros cães morreram.”

  • Back to top