Urina e fezes caninas estão ameaçando a natureza, indica novo estudo - Pet é pop

Urina e fezes caninas estão ameaçando a natureza, indica novo estudo

Urina e fezes caninas estão ameaçando a natureza, indica novo estudo
Urina e fezes caninas estão ameaçando a natureza, indica novo estudo
Urina e fezes caninas estão ameaçando a natureza, indica novo estudo (Foto: Samuel Toh/Unsplash)

De acordo com um novo estudo, a urina e as fezes dos cães provavelmente estão causando prejuízos ao meio ambiente e a vida selvagem.

Veja também:

+ Melhor por Natureza: Whiskas lança linha de alimentos secos para gatos
+ Conheça os pets mais ricos e influentes do mundo
+ Cão pintor tem obra leiloada e consegue mais de R$ 3.500 para a caridade

Os cientistas descobriram que quantidades significativas de fósforo e nitrogênio encontradas nas fezes e urina de cães deixadas para trás em reservas naturais podem resultar em fertilização excessiva do solo e isso pode afetar variedades de vida vegetal e animal e interações entre espécies.

“Os cães trazem quantidades significativas de nutrientes para os ecossistemas, mas essa perturbação e seus efeitos associados à biodiversidade têm sido muitas vezes negligenciados até agora”, disseram eles.

Os pesquisadores contaram 1.629 cães em florestas e reservas naturais perto de Ghent, na Bélgica, ao longo de 18 meses e estimaram que eles estavam deixando uma média anual de 11 kg de nitrogênio e 5 kg de fósforo por hectare, quantidade que eles descreveram como “substancial”.

O estudo, publicado na revista Ecological Solutions and Evidence, disse que os cães parecem ser uma fonte de nutrientes em ecossistemas periurbanos que não pode ser negligenciada.

“Está claro que os níveis de fertilização por cães estimados aqui podem exercer efeitos negativos sobre a biodiversidade e o funcionamento do ecossistema de vegetação rica em espécies que são frequentemente buscadas no manejo florestal e da natureza”, alerta o estudo.

“Níveis mais altos de nutrientes levam ao aumento do crescimento das plantas, principalmente por um número limitado de espécies exigentes em nutrientes que superarão os especialistas, principalmente tirando a luz disponível, causando a perda de espécies de plantas”, acrescentaram os pesquisadores no relatório.



  • Back to top