Tudo o que você precisa saber antes de levar um pet exótico pra casa - Pet é pop

Tudo o que você precisa saber antes de levar um pet exótico pra casa

Tudo o que você precisa saber antes de levar um pet exótico pra casa
Tudo o que você precisa saber antes de levar um pet exótico pra casa
Tudo o que você precisa saber antes de levar um pet exótico pra casa (Foto: Fernando Maté/Unsplash)

A quantidade de pessoas que optam por manter um pet exótico em casa está crescendo. Com isso, também aumenta a necessidade de conscientização sobre esses animais que precisam de cuidados especializados.

Veja também:

+ Confira 6 tendências em produtos e serviços voltados para pets
+ Como ajudar seu gato a emagrecer quando você tem mais de um
+ Saiba como criar e bombar um perfil de Instagram para o seu pet

Os animais de estimação exóticos variam de tartarugas, hamsters, porquinhos-da-índia, coelhos, até pássaros como calopsitas, periquitos e répteis, como cobras, iguanas, saguis, etc.

Segundo a veterinária Shiwani Tandel, mais de 40% dos clientes têm pouco ou nenhum conhecimento sobre como cuidar desses animais de estimação e suas necessidades.

Companheiro para a vida toda

Certos animais de estimação exóticos têm uma longa vida útil. Portanto, a longevidade é um parâmetro importante a ser considerado ao obter um pássaro ou um réptil, aconselha o Dr. Tandel.

Por exemplo, um periquito tem uma vida útil de 30 anos, significativamente mais longa do que a vida útil de um cão ou gato. Répteis como tartarugas, por outro lado, têm uma vida útil de aproximadamente 80 anos.

Alguns desses animais de estimação podem viver mais que seus donos, por isso, comprar ou adotar um animal de estimação exótico deve ser uma decisão cuidadosamente ponderada.

A maioria das pessoas que procuram animais de estimação exóticos desconhece o custo para adquirir um e como mantê-los. Muita gente compra um papagaio, só porque é um pássaro que pode ‘falar’.

No entanto, quando se trata de procurar aconselhamento médico, os donos das aves tendem a procurar o criador de quem compraram a ave. “Muitos donos de animais exóticos preferem procurar conselhos de um comerciante ou criador, e o conselho médico fornecido não é necessariamente confiável”, diz ela. Ou seja, se o seu pássaro estiver doente, você deve obter aconselhamento médico apenas de um veterinário licenciado.

Assim como cães e gatos, os pássaros também precisam de vacinas e suplementos nutricionais. Eles exigem tempo de brincadeira, algo para se envolver para evitar o estresse ​​devido à falta de estímulo mental.

Tartarugas são animais de estimação que os entusiastas de répteis geralmente procuram. No entanto, tenha em mente que, embora as tartarugas sejam do tamanho de uma moeda de dez centavos quando compradas, elas podem crescer para um tamanho enorme (tão grande quanto um prato) à medida que crescem. Portanto, você deve levar isso em consideração e planejar adequadamente.

Para uma criação bem-sucedida de tartarugas, os donos devem oferecer uma dieta balanceada. Tartarugas não são vegetarianas. Quando são jovens, precisam uma quantidade maior de carne em sua dieta, como frango e peixes de água doce.

À medida que envelhecem, a necessidade de carne diminui e os vegetais de folhas verdes servem como fonte de fibra. Para prosperar, eles também precisam da água certa e acesso à luz solar adequada.

A veterinária também alerta que tartarugas hibernam. Muitos donos podem se confundir e achar que os animais estão mortos quando estão, na verdade, hibernando. Segundo especialistas, as tartarugas podem hibernar por até dezesseis semanas no inverno, dependendo da temperatura ambiente.

Pequenos mamíferos também precisam de cuidados

Se você está pensando em manter um pequeno mamífero, deve saber que hamsters, porquinhos-da-índia e coelhos precisam de cama, comida e habitat especiais que lhes permitam seguir suas tendências naturais.

Eles exigem exercícios e uma variedade de brinquedos para brincar. Os dentes de coelhos, hamsters e porquinhos-da-índia crescem ao longo de suas vidas, e deve-se ter um cuidado especial com eles. A negligência pode resultar em lesões e perda de apetite. Além disso, são necessárias consultas de rotina com o veterinário.



  • Back to top