Trocar a carne por uma dieta vegana pode fazer bem para o seu cão? - Pet é pop

Trocar a carne por uma dieta vegana pode fazer bem para o seu cão?

Trocar a carne por uma dieta vegana pode fazer bem para o seu cão?
Trocar a carne por uma dieta vegana pode fazer bem para o seu cão?
Trocar a carne por uma dieta vegana pode fazer bem para o seu cão? (Foto: Karsten Winegeart/Unsplash)

Os cães podem se beneficiar de uma dieta vegana? Ao contrário dos gatos, os cachorros não precisam de uma dieta com carne para obterem os nutrientes necessários para serem saudáveis.

Veja também:

+ Dieta vegana mantém gatos saudáveis, diz estudo
+ Estudo: Gatos alimentados com carne crua passam tuberculose para humanos
+ Rações naturais ganham espaço nas prateleiras dos petshops

Os cães podem ser veganos? 

Ao contrário dos gatos, que são animais carnívoros, os cães são onívoros, ou seja, podem sobreviver com alimentos vegetais e animais, assim como humanos, chimpanzés, ursos e porcos. Por esse motivo, como muitos outros onívoros, os cães podem comer uma dieta totalmente baseada em vegetais sem ter problemas.

Benefícios de uma dieta à base de plantas para cães

Uma pesquisa publicada em 2016 concluiu que os cães de estimação podem “prosperar” com uma dieta sem carne. “Essas dietas têm sido associadas a benefícios como melhora da condição do pelo, controle de alergias, controle de peso, aumento da saúde e vitalidade geral, regressão da artrite, regressão do diabetes, resolução da catarata”, diz o artigo.

O estudo também observou “diminuição da incidência de câncer, infecções, hipotireoidismo e ectoparasitas (pulgas, carrapatos, piolhos e ácaros)”.

Ele esclareceu que animais de estimação em uma dieta sem carne ainda podem desenvolver problemas de saúde. “No entanto, essas doenças também são prevalentes na população normal de animais domésticos de companhia”, disse a pesquisa.

Em um outro estudo, de 2009, os pesquisadores analisaram as dietas de cães altamente exercitados para determinar se eles poderiam permanecer em boa saúde com uma dieta sem carne. O experimento envolveu huskies siberianos e durou 16 semanas, incluindo 10 semanas de corrida competitiva. Os cães com dieta à base de plantas permaneceram em “excelente condição física”.

Bramble, o cachorro vegano de 25 anos

Bramble, uma border collie vegana, chegou até a idade de 25 anos. Ela até deteve o Recorde Mundial do Guinness por ser o cão mais velho do mundo na época. A dona de Bramble, a ativista dos direitos dos animais Anne Heritage, conversou com V-Dog sobre Bramble e seus outros filhotes.

“Eu tive sete cães: três deles viveram até 19 anos, um viveu até 20 anos e então Bramble viveu até 25 anos”, disse ela. E todos eles eram veganos.

“Pude desfrutar dos meus cães por muito mais tempo – pudemos desfrutar uns dos outros – devido à sua dieta à base de plantas. Eu acredito que você pode estender os anos de seu cão com o plano de cuidados e alimentação adequados”, acrescentou Anne.

Perigos de alimentar um cachorro com uma dieta à base de carne 

Outro motivo que tem feito os donos de animais de estimação a mudarem as dietas de seus cães para uma vegana é a possibilidade de alimentar o cachorro com carne contaminada.

“A maioria das grandes marcas tem restos de carne de animais mortos, moribundos, doentes ou deficientes, então pode realmente haver qualquer coisa lá”, disse o CEO e cofundador Ryan Bethencourt ao Wall Street Journal.  “Pegamos um produto vegano facilmente acessível que podemos escalar facilmente por meio da biotecnologia, não da agricultura industrial.”

Um estudo publicado em julho examinou os riscos à saúde de alimentos para cães à base de carne crua, testando amostras para a bactéria Enterococci. Os enterococos, que se espalham para as áreas erradas do corpo podem causar infecções graves, incluindo infecções abdominais, de feridas, orais e do trato urinário.

Os pesquisadores analisaram 55 amostras de 25 marcas (a maioria das quais enviada para o mundo todo). Mais da metade (54 por cento) das amostras continham a bactéria. E mais de 40% eram resistentes a vários antibióticos.

As descobertas apresentam riscos, não apenas para os cães que o consomem, mas também para os humanos. “O contato próximo de humanos com cães e a comercialização das marcas estudadas em diferentes países representam um risco internacional para a saúde pública”, disse a pesquisadora Ana R. Freitas.

“As autoridades europeias devem aumentar a conscientização sobre os riscos potenciais à saúde ao fornecer dietas crus para animais de estimação e a fabricação de ração para cães, incluindo a seleção de ingredientes e práticas de higiene, deve ser revista”, acrescentou ela.

Número crescente de cães veganos

Em 2019, pesquisadores do Ontario Veterinary College da U of G realizaram uma pesquisa para examinar quais alimentos as pessoas estão dando aos seus animais de estimação. Pouco menos de seis por cento dos participantes eram veganos. Mais de um quarto (27 por cento) também estavam alimentando seus cães com uma dieta baseada em vegetais.

Entre o restante dos entrevistados da pesquisa, 78 por cento estavam interessados ​​em ajustar a dieta de seus animais de estimação para ser baseada em vegetais, se atendesse às suas necessidades

“Essa porcentagem, 27 por cento, pode soar como um número pequeno, mas quando você pensa no número real de animais de estimação envolvidos, isso é enorme e muito maior do que esperávamos”, disse a autora principal do estudo, Dra. Sarah Dodd.

Ao todo, 1,6 por cento dos cães da pesquisa eram baseados em plantas. Outros 10,4 por cento dos cães foram “alimentados de forma intermitente com dietas vegetarianas ou alimentos vegetais”.

“As pessoas têm ouvido falar sobre como as dietas veganas estão associadas a riscos reduzidos de câncer e outros benefícios à saúde em humanos. Também há uma preocupação crescente com o impacto ambiental da pecuária”, disse Dodd.

  • Back to top