Tempo seco: saiba o que fazer com os pets que mais sofrem com a falta de umidade - Pet é pop

Tempo seco: saiba o que fazer com os pets que mais sofrem com a falta de umidade

Tempo seco: saiba o que fazer com os pets que mais sofrem com a falta de umidade
Tempo seco: saiba o que fazer com os pets que mais sofrem com a falta de umidade
Tempo seco: saiba o que fazer com os pets que mais sofrem com a falta de umidade (Foto: fatty corgi/Unsplash)

Assim como os humanos, os pets também sofrem com o tempo seco, comum durante o outono e o inverno aqui no Brasil. A temporada de baixa umidade do ar pode acarretar problemas respiratórios, “gripe”, conjuntivites, entre outros. Por isso, alguns cuidados específicos são necessários.

Veja também:

+ Veterinária dá dicas para evitar problemas respiratórios em cães e gatos neste inverno
+ Mulher presa à guia do seu cão é arrastada por trem e morre
+ Vídeo: gato possessivo ‘enlouquece’ quando dona tenta se apoderar de brinquedo

Como saber se meu pet está precisando de ajuda?

A Coordenadora de Conteúdo da Petlove, Jade Petronilho, explica que se notar dificuldade do pet para respirar, tosse, espirro ou outra alteração de saúde, é essencial consultar um profissional. Somente ele poderá identificar o que está acontecendo com seu peludo e poderá te dizer como conduzir o caso.

O que posso fazer para amenizar os efeitos dos dias secos?

Jade recomenda cuidado com as atividades físicas durante o período: “Os pets podem sofrer mais quando se exercitam em um clima com menos umidade. Manter o pet com as vacinas em dia pode evitar que eles contraiam algumas doenças que são comuns nesse período, como as “gripes” e “tosses” causadas por vírus e bactérias”, afirma.

O ideal é que pais e mães de cães definam horários adequados para passeios e atividades físicas, em um período em que o ar não prejudique a respiração do animal. “É imprescindível manter a hidratação adequada do pet durante as caminhadas, com pausas programadas e o oferecimento de água”, explica a Coordenadora.

Outra dica é o uso de umidificadores ou até mesmo toalhas molhadas no ambiente em que o pet mais fica, como próximo à sua caminha, por exemplo. “Além disso, se o médico veterinário que acompanha o cão ou gato achar que é necessário realizar inalação, é fundamental seguir suas orientações e utilizar os produtos adequados”, orienta Jade.

Quais são as raças que sofrem mais?

Os pets braquicefálicos, também conhecidos por terem os focinhos achatados, podem sofrer ainda mais, como é o caso de buldogues, gatos persa e pugs. Nesta época, não é raro que eles emitam sons mais fortes do que o normal, parecidos com “roncos” ou “apitos”.

Fazer uma limpeza do nariz também com produtos indicados pelo médico veterinário pode ser importante. “Embora os braquicefálicos costumem ser mais acometidos com alguns problemas relacionados ao tempo seco, nada impede que outros pets, de outras raças, não sofram com o clima. Esteja sempre atento aos sinais que seu pet está dando e, na dúvida, consulte um profissional”, finaliza Jade.

  • Back to top