Seu cão faz cocô pela casa? Entenda as razões e saiba o que fazer - Pet é pop

Seu cão faz cocô pela casa? Entenda as razões e saiba o que fazer

Seu cão faz cocô pela casa? Entenda as razões e saiba o que fazer
Seu cão faz cocô pela casa? Entenda as razões e saiba o que fazer
Seu cão faz cocô pela casa? Entenda as razões e saiba o que fazer (Foto: Taylor Corcoran/Unsplash)

Seu cachorro começou a fazer cocô pela casa de repente? Esse comportamento definitivamente seria anormal para um cão treinado para fazer cocô em um lugar específico ou para apenas fazer suas necessidades do lado de fora da casa.

Veja também:

+ Homem fica furioso ao ver cocô de cachorro no chão e destrói quarto com serra elétrica
+ Entenda por que o seu cão deveria usar óculos escuros na praia
+ Entenda por que o seu próximo cão tem de ser um vira-lata

Confira alguns dos motivos mais comuns para esse comportamento e o que você pode fazer sobre isso, de acordo com os especialistas do site PetMD:

Por que meu cachorro está fazendo cocô pela casa?

Se o seu cão continua fazendo cocô em casa, ele pode ter um problema de saúde ou algo pode ter mudado em sua rotina, dieta ou ambiente doméstico que está causando os acidentes. O primeiro passo é descartar uma razão médica, o que envolve marcar uma consulta com seu veterinário.

1. Parasitas intestinais

Qualquer condição médica que leve à inflamação dos intestinos do seu cão ou a um aumento do senso de urgência para fazer cocô, o que pode resultar em um acidente em casa. Uma causa comum de doença gastrointestinal em cães são os parasitas intestinais.

Os cães podem entrar em contato com parasitas no quintal, em parques para cães ou por estarem em contato com outros cães ou gatos. Esses vermes criam inflamações no trato gastrointestinal, resultando em diarreia, além de sangue e/ou muco nas fezes.

2. Intolerância ou alergia alimentar

Alergias alimentares ou intolerância alimentar também podem causar distúrbios gastrointestinais em cães. Embora as alergias alimentares em cães sejam relativamente incomuns, cerca de 10 a 15% dos cães diagnosticados com alergias alimentares apresentam sinais de doença de pele e doença gastrointestinal, geralmente na forma de fezes moles.

Alergias alimentares comuns para cães incluem carne bovina, laticínios, frango, trigo e cordeiro. A intolerância ou alergia alimentar pode fazer com que seu cão faça cocô com mais frequência, tenha fezes moles e tenha mais gases e ruídos estomacais.

3. Ansiedade de separação

A ansiedade de separação tornou-se um problema mais comum para alguns cães, especialmente se houver uma mudança na frequência com que você está em casa com eles. Se o seu cão está acostumado com você ficar em casa com ele a maior parte do dia e, em seguida, sua agenda muda e você fica ausente por períodos mais longos, isso pode ser perturbador para o seu cão.

Cães com ansiedade de separação normalmente começam a ficar nervosos ou ansiosos quando você se prepara para sair de casa. Seu cão pode começar a se envolver em comportamentos como mastigação destrutiva, andar de um lado para o outro, choramingar ou fazer cocô ou xixi pela casa.

4. Fobia de ruído

Seu cão pode estar fazendo cocô dentro de casa porque algo ao ar livre o assusta ou o deixa ansioso. Alguns cães têm uma personalidade mais nervosa, e sons altos, como veículos passando, cães latindo, trovões, pessoas gritando ou outros ruídos altos podem contribuir para o medo e a ansiedade.

Seu cão também pode estar ansioso com possíveis predadores, chuva, pessoas correndo ou objetos com rodas, como skates, malas ou bicicletas passando por eles. Se o seu cão estiver tenso e com medo quando estiver do lado de fora, ele não poderá fazer cocô até que volte para dentro de casa.

5. Distrações

Alguns cães podem defecar dentro de casa porque não passaram tempo suficiente fora de casa para ir ao banheiro. Quando os cães saem, eles geralmente querem cheirar e explorar seu ambiente para novas visões, cheiros ou sons. Portanto, se o seu cão passa muito tempo explorando em vez de urinar e defecar, ele pode não ter tido tempo suficiente para fazer cocô ao ar livre.

6. Mudança na rotina

A maioria dos cães se acostuma a um horário de comer, passear ou até brincar em determinados horários. Se houver uma mudança abrupta nessa rotina, seu cão pode não estar preparado, e isso pode contribuir para fazer cocô dentro de casa. Com um animal de estimação recém-treinado em casa, qualquer novo estressor ou mudança em sua rotina diária pode resultar em contratempos.

7. Problemas relacionados à idade

À medida que seu animal de estimação envelhece, suas habilidades de treinamento em casa podem não ser tão afiadas quanto eram quando eram filhotes.

Cães mais velhos podem começar a mostrar sinais leves de disfunção cognitiva canina ou demência canina leve, onde começam a esquecer certos comportamentos aprendidos. Os sinais comuns observados incluem andar de um lado para o outro, perambular, aumentar a ansiedade e mais episódios de sujeira em casa.

Outro fator relacionado à idade é a artrite. Um cão mais velho com sinais de dor no quadril ou no joelho pode ter mais dificuldade em se posicionar para defecar, então ele pode ter problemas para ir ao local apropriado.

8. Mudança de dieta

Mudanças repentinas na dieta do seu cão podem levar a distúrbios gastrointestinais. Seja porque você comprou uma nova marca de comida ou guloseimas ou se seu cão roubou algo da lata de lixo, o trato intestinal de um cão não lida bem com esse tipo de mudança abrupta.

A mudança na dieta pode causar uma grande mudança no bioma da microflora (bactérias boas e ruins) que compõem o trato intestinal do seu cão. Esse desequilíbrio pode causar fezes moles, levando a acidentes na casa.

Como impedir um cachorro de fazer cocô pela casa

Não importa a causa subjacente da defecação inadequada do seu cão em casa, a punição não resolverá o problema. Não grite com seu cão nem esfregue o focinho nele, pois essa não é uma estratégia eficaz.

Aqui estão algumas dicas de como impedir que seu cão faça cocô dentro de casa. Consulte o seu veterinário se essas estratégias não ajudarem a resolver o problema.

1. Aborde as condições de saúde subjacentes

É importante agendar uma consulta com seu veterinário para encontrar possíveis condições médicas. Os parasitas intestinais podem ser diagnosticados com testes fecais e facilmente tratados com medicamentos desparasitantes.

Além disso, se o seu animal de estimação estiver em maior risco de exposição a parasitas intestinais, é fundamental mantê-lo em prevenção mensal como forma de proteção.

Para alergias alimentares, seu veterinário pode recomendar uma dieta de prescrição, como uma proteína hidrolisada ou uma nova dieta de proteína, para ver se seu animal de estimação tolerará melhor a comida.

Pergunte ao seu veterinário sobre a adição de um probiótico diário à comida do seu animal de estimação para ajudar a promover um microbioma intestinal equilibrado.

2. Procure ajuda para a ansiedade do seu cão ou ansiedade de separação

Ajudar seu animal de estimação com problemas relacionados à ansiedade geralmente envolve alguma forma de modificação de comportamento ou dessensibilização.

Para a ansiedade de separação, os cães precisam ser retreinados ao longo do tempo para verem ser deixados sozinhos por certos períodos como algo positivo. Pergunte ao seu veterinário sobre treinadores profissionais ou behavioristas veterinários que podem ajudar com o problema específico do seu animal de estimação.

Feromônios também ajudam com a ansiedade. Se você sentir que seu animal de estimação pode precisar de uma terapia mais agressiva, consulte seu veterinário.

3. Obtenha recomendações para problemas relacionados à idade

Se o seu animal de estimação está começando a mostrar sinais de demência leve ou disfunção cognitiva, agende um check-up com seu veterinário. Existem medicamentos e dietas especiais para animais de estimação idosos para ajudá-los a navegar nesta nova etapa de sua vida.

Seu veterinário também pode examinar seu cão em busca de quaisquer sinais de dor ou desconforto associado à artrite e pode recomendar suplementos articulares ou analgésicos.

4. Mantenha seu cão na tarefa durante a hora do penico

Se o seu cão parece se distrair da missão de ir ao banheiro, você pode ajudá-lo a permanecer no caminho certo.

Por exemplo, se o seu animal de estimação ficou dentro de casa o dia todo, em vez de brincar com ele quando você chegar em casa, deixe-o imediatamente no quintal ou comece a caminhar. Depois dele urinar e defecar, elogie e/ou dê um petisco ao seu cão para reforçar o propósito de estar do lado de fora. Então você pode se envolver em brincadeiras com seu cão.

5. Mude a dieta do seu cão gradualmente

Sempre que mudar a marca de ração do seu cão, ou mesmo o tipo de ração da mesma marca, é importante fazer a transição gradual para a nova ração ao longo de pelo menos uma semana.

Comece dando 25% do novo alimento com 75% do alimento antigo por dois dias, depois uma mistura 50 a 50 nos próximos dois dias e, em seguida, 75% do novo alimento para 25% do alimento antigo até a transição completa para o novo alimento.

Essa transição gradual de alimentos reduzirá a probabilidade de distúrbios gastrointestinais. Você também pode considerar adicionar um probiótico para ajudar a tornar essa transição mais suave e melhorar a saúde gastrointestinal geral do seu cão.



  • Back to top