Saiba o que o cocô do cachorro diz sobre a saúde dele - Pet é pop

Saiba o que o cocô do cachorro diz sobre a saúde dele

Saiba o que o cocô do cachorro diz sobre a saúde dele
Saiba o que o cocô do cachorro diz sobre a saúde dele
Saiba o que o cocô do cachorro diz sobre a saúde dele (Foto: Victor Grabarczyk/Unsplash)

Assim como nos humanos, alterações no cocô de um cachorro pode indicar alguns problemas de saúde diferentes.

Veja também:

+ Manual completo para deixar sua casa pronta para receber um novo cão
+ Conheça os cães e gatos mais ricos das redes sociais e saiba quanto eles faturam
+ Saiba como fazer o seu gato parar de fazer cocô no chão

Veja oito coisas que o cocô de seu cachorro pode estar dizendo sobre a saúde dele:

1. Ele está desidratado, possivelmente constipado

Excrementos pequenos, duros e redondos podem ser um sinal de que seu cão não está bebendo água suficiente ou não está comendo fibras suficientes, o que pode causar prisão de ventre.

2. Problemas de digestão

Talvez o cocô do seu cachorro de repente adquira uma consistência líquida. Isso é consistente com sintomas de diarreia, que pode significar um problema intestinal mais sério e alguns problemas no departamento de digestão.

3. O cólon pode estar inflamado

Se o seu cão passa por estresse, tem sensibilidade alimentar ou foi diagnosticado com doença inflamatória intestinal, ele pode estar sujeito à inflamação do cólon, algo que pode resultar em muco e/ou sangue nas fezes.

Se seu cão desenvolver diarreia crônica com muco, sangue ou ambos, marque uma consulta com seu veterinário para um exame físico completo, hemograma, análise fecal e qualquer teste adicional, se necessário.

4. Ele está comendo grama demais

Os cães são conhecidos por comer grama como um lanche, mas nem todos o fazem porque gostam do sabor. Na verdade, muitos só comem quando se sentem estressados ​​ou estão tentando resolver uma dor de estômago. Quando um cão consome muita grama, isso ficará visível em suas fezes.

Assim que a causa raiz for resolvida, seja uma dor de estômago, um fator estressante como a ansiedade de separação ou uma condição subjacente, seu cão parará de comer grama ou, pelo menos, comerá menos. Até então, supervisione-os do lado de fora e limite a ingestão de grama.

5. Queda de cabelo pode ser um problema

Pelo estará presente nas fezes se seu cão estiver perdendo quantidades excessivas ou se lambendo muito. Fale com um veterinário ou dermatologista canino sobre problemas de pele subjacentes que podem causar esse comportamento, pois os pelos nas fezes podem causar um bloqueio ou problemas intestinais mais graves.

6. Seu cachorro tem uma tênia

Se o seu cão come uma pulga que carrega uma larva da tênia, um tipo de parasita, pode se transferir para o corpo dele e aparecer nas fezes do seu cão. Você pode ver o que parece ser pequenos grãos brancos de arroz no cocô ou vermes brancos mais longos (até 20 centímetros) se tênias ou outros parasitas estiverem presentes em seu cão.

Identificar isso justifica uma viagem ao veterinário. O médico pode rastrear parasitas fecais adicionais, como vermes, tricurídeos e lombrigas.

7. Pode haver sangramento interno

Sangue ou o que parece ser borra de café é um sinal de perigo. Se você encontrar algo parecido no cocô dele, uma visita imediata ao veterinário ou clínica de emergência é garantida. É uma bandeira vermelha que pode indicar hemorragia interna.

Um exame completo, teste fecal e qualquer outro diagnóstico necessário podem ajudar a determinar a causa exata.

8. Há um problema com o pâncreas ou fígado

Fezes gordurosas ou oleosas e cinzentas podem estar presentes com má absorção e má digestão, o que pode acontecer quando o pâncreas não produz as enzimas que o corpo precisa para uma digestão adequada.

A falta de bile nas fezes também pode causar descoloração acinzentada, que novamente remete à digestão anormal e má absorção. Às vezes, seu cachorro pode ter fezes laranja e/ou amarelas. Isso pode indicar uma condição biliar ou hepática, que pode ser causada por uma doença ou algo que foi infectado pelo meio ambiente.

Os cães também podem desenvolver cirrose hepática. Qualquer coisa que afete a capacidade do fígado de filtrar toxinas da corrente sanguínea pode levar ao mau funcionamento do fígado e às fezes cor de laranja.

  • Back to top