Saiba como proteger a saúde de mãe e filhotes durante o período de amamentação - Pet é pop

Saiba como proteger a saúde de mãe e filhotes durante o período de amamentação

Saiba como proteger a saúde de mãe e filhotes durante o período de amamentação
Saiba como proteger a saúde de mãe e filhotes durante o período de amamentação
Saiba como proteger a saúde de mãe e filhotes durante o período de amamentação (Foto: Freepik)

Na Semana Mundial da Amamentação, comemorada de 01 a 07 de agosto, não podemos deixar de destacar a importância desta fase da vida também para os pets. O aleitamento materno é extremamente importante para garantir a proteção e o desenvolvimento saudável dos filhotes de cães e gatos, pois além de alimentar, é por meio do leite que receberão imunidade até que seu sistema de defesa esteja plenamente desenvolvido. O leite materno é o alimento mais completo e rico em nutrientes que atendem a demanda do filhote em crescimento.

Veja também:

+ Confira os cuidados com a alimentação de cadelas e gatas durante gestação e amamentação
+ Filha de 38 anos vive com 6 gatos, e mãe vai à TV pedir que ela arrume emprego e marido
+ Vídeo fofo: gato de 20 anos desce escada com todo o cuidado e comove a internet

As cadelas e gatas devem receber nutrição especial desde a gestação até o fim do período de amamentação. “A lactação é considerada o maior desafio fisiológico que qualquer mamífero pode ter ao longo de sua vida, devido à alta demanda de nutrientes no período, que pode ser ainda maior em casos de grandes ninhadas. Por isso, é fundamental que elas recebam um alimento que atenda perfeitamente suas necessidades e, consequentemente, beneficie os filhotes”, destaca Mariana Fragoso, médica-veterinária da Adimax e mestre em nutrição de cães e gatos.

Nesta fase da vida, a nutrição deve fornecer maior valor energético e níveis de proteína e gordura mais elevados. Mariana explica que os alimentos específicos para filhotes, por conta das necessidades desta fase de vida, são mais concentrados em nutrientes essenciais e fornecem mais energia do que as fórmulas para adultos. Por isso, são ótimas opções para ajudar as futuras mamães a manterem-se fortes e fornecerem todos os nutrientes para seus filhotes. 

Para que o sistema digestivo das fêmeas gestantes se adapte, é importante realizar a troca gradual do alimento atual para um novo, logo após a gestação ser confirmada, conforme recomendado na embalagem. Além disso, o tutor deve fornecer a quantidade ideal para cada etapa da gestação e amamentação, que será diferente conforme a espécie: “Gatas necessitam iniciar o aumento de consumo de alimento logo no início da gestação, enquanto cadelas só devem começar a receber aumento na quantidade de alimento no terço final da gestação, e em ambos os casos deve ser mantida essa alimentação especial até o final da lactação. Para mais informações sobre quanto de alimento fornecer, o tutor deve consultar sempre o seu médico-veterinário de confiança”, orienta Mariana.

A veterinária dá ainda dicas importantes para os tutores cuidarem da rotina alimentar das mamães e seus filhotes: 

– deixar o alimento disponível à vontade para as cadelas ou gatas que estão em fase de amamentação, uma vez que elas estão com a atenção dedicada aos filhotes e, muitas vezes, acabam não comendo a quantidade ideal de uma única vez;

– ainda que a orientação seja deixar o alimento à vontade, o controle da quantidade ingerida é importante. Uma maneira de acompanhar a ingestão é deixar o alimento exposto por 24 horas e, quando retirar as sobras, pesa-las. Assim, é possível saber se a mamãe está consumindo a quantidade ideal recomendada pelo médico-veterinário;

– a quantidade de alimento a ser oferecida, tanto para cadelas quanto para gatas, varia de acordo com o tamanho da ninhada. Consulte um médico-veterinário para que ele faça o cálculo adequado de quantidade de alimento. Ele também irá acompanhar o peso e a condição corporal da fêmea no pós-parto e período de amamentação, pois nestas fases, as fêmeas entram em balanço energético negativo e perdem peso, e este controle é importante para sua recuperação após o desmame; 

– é imprescindível acompanhar o ganho de peso dos filhotes nas primeiras semanas de vida, para saber se eles estão se alimentando corretamente. Quando a ninhada é muito grande, é mais difícil saber se todos os filhotes mamaram. Por isso, uma dica é colocar alguma identificação, como uma fita, nos filhotinhos que já mamaram e cuidar para que aqueles sem identificação tenham acesso ao alimento;

– é recomendado que os filhotes mamem a cada três horas;

– o desmame dos filhotes deve ser feito de maneira gradual, podendo ser a partir dos 45 dias de vida dos cães, e a partir dos 60 dias de vida dos gatos. Muitas vezes, a própria mãe já vai desmando os filhotes, não os deixando mamar com a mesma frequência que no início da amamentação. É importante deixar água e comida disponível para os filhotes em desmame, para que eles se acostumem aos poucos com a mudança de textura do leite materno para o alimento seco ou úmido; a utilização de papinhas de desmame pode facilitar o processo de adaptação.



  • Back to top