Saiba como fazer uma festa junina perfeita e segura para o seu pet - Pet é pop

Saiba como fazer uma festa junina perfeita e segura para o seu pet

Saiba como fazer uma festa junina perfeita e segura para o seu pet
Saiba como fazer uma festa junina perfeita e segura para o seu pet
Saiba como fazer uma festa junina perfeita e segura para o seu pet (Foto: Divulgação/DogHero)

Uma das festividades mais populares e esperadas do país chegou! Pais e mães de pets também adoram comemorar com o animalzinho de estimação. Colocam com adereços, roupinhas e até fazem receitas personalizadas para a ocasião.

Veja também:

+ Após 10 anos de serviços, gato ganha festa de aposentadoria em livraria
+ Vídeo: conheça o Tom e o Jerry da vida real
+ Foto hilária: cachorro combina tanto com o tapete que é difícil saber onde começa um e outro

Uma das principais dúvidas dos tutores neste período é se o pet pode ou não comer pipoca. Segundo a médica veterinária Thais Matos, especialista da área de Confiança e Segurança da DogHero, maior empresa de serviços para pets da América Latina, até pode, mas o ideal é evitar que o pet coma.

Esse aperitivo é feito a partir dos grãos de milho. Sendo assim, esse é um alimento sem valor nutritivo para as dietas dos pets. Se a pipoca for muito temperada, com sal ou manteiga, poderá prejudicar a saúde do animal. Isso acontece devido à quantidade de gordura e de sódio que esses condimentos podem trazer à corrente sanguínea do pet”, alerta Thais.

Se o pet comeu pipoca, o tutor não precisa entrar em desespero. “Se a pipoca ingerida for em pouca quantidade, não é preciso ficar muito preocupado ou levá-lo ao médico veterinário de imediato. Sendo assim, o animal de estimação pode comer pipoca, porém em poucas e mínimas quantidades”, ressalta a especialista da DogHero.

 Apesar de ser um alimento não recomendado para os pets, existem aqueles que amam comer pipoca. Se esse for o caso do seu animal de estimação, saiba que existe uma maneira de preparar a pipoca para que o pet desfrute desse gostinho único, sem grandes danos à sua saúde. Confira o passo a passo preparado pela DogHero.

1. Escolha o grão natural

Para preparar a pipoca que o pet pode comer, é preciso dar preferência ao grão de milho natural. Ou seja, opte por aqueles que vem em sacos transparentes e que não são colocados diretamente no micro-ondas. Geralmente, a pipoca industrializada (essa que vem pronta para ser preparada no micro-ondas) pode trazer danos à saúde do pet. Isso porque esse tipo de alimento passa por um tratamento diferenciado. Além disso, recebe condimentos, temperos e conservantes que podem ser prejudiciais ao animal. Geralmente, ela é mais salgada e gordurosa do que a pipoca natural.

2. O diferencial está no modo de preparo

Se o tutor já tem em casa o milho da pipoca, ela pode ter uma preparação mais saudável. Pode-se usar uma panela com uma quantidade mínima de água, por exemplo. Uma segunda opção é colocar os grãos de milho dentro de um saco de papel, como aqueles utilizados para embalar o pão que trazemos da padaria. Esse saco pode ser colocado no micro-ondas por alguns minutos, a depender da potência do seu aparelho e, assim, o grão de milho estoura sem precisar de nada adicional. Nessa preparação, será somente o milho e não haverá nenhuma contraindicação para o seu animal de estimação. Atenção ao tempo, fique sempre de olho para evitar que a pipoca ou o saco de papel queimem.

3. Sirva para o pet sempre em poucas quantidades

Ainda que o preparo da pipoca seja adequado ao pet, o tutor precisa ficar atento sobre a quantidade ingerida. Dê para o animal de estimação apenas um pouco, para ele saciar sua vontade sem causar danos e desequilíbrios ao seu organismo. Nunca adicione sal ou qualquer condimento para dar pipoca ao seu pet. Como já mencionamos, a pipoca tem que ser dada em sua forma natural e com atenção às casquinhas do milho.



  • Back to top