Rapper abandona a carreira musical e funda um abrigo para gatos - Pet é pop

Rapper abandona a carreira musical e funda um abrigo para gatos

Rapper abandona a carreira musical e funda um abrigo para gatos



Rapper abandona a carreira musical e funda um abrigo para gatos
Rapper abandona a carreira musical e funda um abrigo para gatos (Foto: Weir Media)

Sterling Davis, conhecido como Trap King, decidiu abandonar a carreira musical e fundar um abrigo para resgate de gatos, em Atlanta, Georgia.

Veja também:

Ariana Grande inaugura abrigo para pets em Los Angeles
Conheça Lord Chesterfield, o novo cão de Jennifer Aniston
Piloto Lewis Hamilton é criticado por dar comida vegana ao seu cão

Sterling estava de folga de uma turnê de rap quando se candidatou a um emprego no abrigo do condado como catador de lixo. Ele só queria se manter ocupado e ganhar algum dinheiro. Além disso, ele sempre amou animais, como seu gato na época, Rick James.

“Eu fui horrível na entrevista porque eles tinham gatos na sala e eu estava brincando com todos os gatos, beijando todos os gatos”, ele disse à TODAY.

Mesmo que ele realmente não tenha respondido a nenhuma das perguntas porque estava distraído com os felinos amigáveis, ele conseguiu o emprego porque, como disse a pessoa que o contratou, “não estamos vendo pessoas como você com gatos”.

Aos 40 anos, Sterling começou a ajudar a equipe do abrigo com casos trap-neuter-return (TNR), método em que a equipe pegava gatos da comunidade (anteriormente chamados de “ferozes”), os levaria para o abrigo para serem vacinados e esterilizados ou castrados e, em seguida, os retornaria ao ar livre.

Enquanto Davis aprendeu sobre TNR, ele chegou a outra conclusão. “No abrigo do condado, não havia homens nem negros trabalhando no departamento de gatos”, disse ele. “Quando eu saía e fazia TNR com todos os meus amigos, eram todas mulheres – foram elas que me treinaram. Finalmente fiz a pergunta difícil: ‘Onde estão todos os caras e onde estão todos os negros?'”

Davis percebeu que tinha uma nova vocação. Ele avisou sua banda que não voltaria em turnê. Em vez disso, ele iria dedicar todo o seu tempo ao resgate de gatos como o TrapKing.

Após cinco anos trabalhando no abrigo administrado pelo LifeLine Animal Project e treinando com a Best Friends Animal Society, Davis fundou a organização sem fins lucrativos TrapKing Humane Cat Solutions em 2017.

(Foto: Sterling TrapKing Davis)

Seu objetivo era ousado: mudar os estereótipos de homens no resgate de gatos e preencher a lacuna de comunicação entre as comunidades negras e as organizações de bem-estar animal predominantemente brancas.

“Eu vi o resgate ser algo que é considerado difícil, tedioso, triste”, disse ele. “Se as pessoas puderem me ver e eu fizer isso parecer uma vida do tipo estrela do rock, isso é divertido – você consegue.”

Quando seu dinheiro com a música acabou, Davis vendeu tudo o que possuía e comprou uma van de conversão para morar, a fim de ajudar a pagar cirurgias em gatos e apoiar sua organização sem fins lucrativos.

Ele cobriu a van com logotipos do TrapKing e as pessoas começaram a notar. “Comecei a frequentar os bairros e as crianças me veriam como o caminhão de sorvete”, disse ele com uma risada. “Eu entrava em complexos de apartamentos e via garotos correndo até a van tentando me dar gatos. ‘Ei, Trap, olha, eu tenho um gato. Eu ganho algum dinheiro?'”

Conforme o TrapKing se tornou mais conhecido, surgiram oportunidades. A Atlanta Humane Society se ofereceu para esterilizar e castrar gatos que ele trouxesse de graça, o que foi uma grande ajuda, já que ele não estava cobrando de ninguém por seus serviços.

Davis, que se alistou na Marinha logo após o colégio e serviu por dois anos como especialista em operações no radar do navio, disse acreditar que suas experiências o ajudaram a se conectar com pessoas de todas as esferas da vida como TrapKing.

“Acho que estar no exército, estar perto de pessoas diferentes, culturas diferentes e estar no entretenimento é o que realmente me ajudou a me comunicar melhor com todos os tipos de pessoas e comunicar melhor esta missão”, disse ele. “Eu literalmente tenho pressionado para tornar os cuidados com os gatos da comunidade TNR tão comuns quanto reciclar e fazer com que mais pessoas se envolvam de muitas maneiras divertidas.”

(Foto: Sterling TrapKing Davis)

Nem sempre foi fácil. No início, quando Davis estava devolvendo gatos a um bairro predominantemente negro, um grupo de homens se aproximou e disse a ele: “Os brancos colocam rastreadores e doenças nesses gatos para prejudicar a comunidade negra e você está ajudando nisso. Você os está trazendo para a vizinhança.”

“Eu estava tipo, ‘Uau, isso é tão errado’. Foi realmente difícil explicar porque tudo que a comunidade negra podia ver era que isso é coisa de branco”, disse ele.

Com o tempo, as percepções mudaram. Quando os protestos eclodiram em toda a América após a morte de George Floyd, Davis lançou uma campanha de camisetas chamada “Aliados em Resgate, Aliados na Vida”. Ele anunciou que doaria todos os fundos para a organização sem fins lucrativos Campanha Zero, que promove mudanças nas políticas para acabar com a violência policial. O apoio de defensores e organizações de resgate foi esmagador.

“Recebi muitos comentários da comunidade negra sobre isso, como, ‘Então você conseguiu que todas essas pessoas que fizessem animais doassem para outras questões além de gatos ou cachorros?'”, lembrou ele. “Eu disse, ‘Sim – somos aliados no resgate e aliados na vida’. Então isso realmente mudou muitas coisas.”

Davis agora administra o TrapKing Humane Cat Solutions em um trailer, que ele divide com seus gatos Bowie, Damita Jo e Alanis Mewissette. Ele espera viajar por todo o país em breve promovendo a TNR e arrecadando fundos para abrigos de animais. Ele também está tentando convencer os escoteiros e escoteiras a oferecer um emblema TNR.

(Foto: Sterling TrapKing Davis)

“Muitos pais me procuraram e disseram que o filho deles é motivo de piada porque gosta de gatos”, disse ele. “Só quero que saibam que não se pode perder pontos para a compaixão. Se você está fazendo algo compassivo, você ganha pontos.”

O TrapKing adoraria ver a comunidade de resgate encontrar maneiras de colocar de lado quaisquer diferenças e trabalhar em conjunto para o objetivo comum de salvar a vida de animais de estimação. “Acho que algo tão altruísta como o resgate poderia ser um exemplo para o mundo de união e trabalho conjunto”, disse ele. “Então, eu quero colocar isso para fora.”

Veja também:

+ Conheça o iate de luxo de Giorgio Armani: ele mesmo projetou e custa R$ 330 milhões

+ Cozinhas coloridas: veja dicas essenciais para apostar em projetos alegres, modernos e joviais

+ 5 dicas para escolher o modelo ideal de sofá para a sala de estar

+ Pessoas que gostam de cerveja IPA têm personalidade parecida, diz estudo. Saiba mais!

+ Previsões de Nostradamus para 2021: Asteróide e ‘fim de todo o mundo’

+ Bruna Lombardi posta foto nua aos 68 anos

+ Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra!

+ Gato e porquinho viram melhores amigos quando passaram a viver na mesma casa

+ CPTM atualiza mapa das linhas da CPTM e Metrô

+ Os 3 signos mais sensitivos do zodíaco

+ Bandeirantes contrata atriz de fimes adultos Maru Karv para o canal SexPrivé

+ De biquíni verde cavado Lívia Andrade arranca elogios da web ao tomar banho de sol

+ Irmã de Juliana Caetano exibe corpão e brinca com fãs: “O que te faz ver estrelas?”

+ Aos 68 anos, Bruna Lombardi posta foto de biquíni ‘contra sua vontade’

+ Marcella Rica e Vitória Strada vão se casar

+ Vídeos íntimos de Raissa Barbosa vazam em sites de conteúdo adulto

+ Ellen Rocche posta foto de ensaio nu na ‘Playboy’ e ganha elogios dos fãs

+ O bico do seu p… é rosa? Juliana Caetano, responde a fã de maneira ousada

+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona

+ 10 coisas que os pais fazem em público que envergonham os filhos

+ Líder de seita sexual apocalíptica é condenado a 1.075 anos de prisão

+ Dançarina é condenada 3 anos de prisão por causa de vídeos no TikTok

+ ‘Borboletas no estômago’ indicam algo além de estar apaixonado

+ 10 sinais de que seu parceiro não te ama (como você gosta dele)


  • Back to top