Quer que seu gato seja mais afetuoso? Deixe que ele se sinta no comando - Pet é pop

Quer que seu gato seja mais afetuoso? Deixe que ele se sinta no comando

Quer que seu gato seja mais afetuoso? Deixe que ele se sinta no comando
Quer que seu gato seja mais afetuoso? Deixe que ele se sinta no comando
Quer que seu gato seja mais afetuoso? Deixe que ele se sinta no comando (Foto: Fernando Vega/Unsplash)

De acordo com um novo estudo, a chave para conquistar o coração do seu gato é é simplesmente deixar seu gato escolher quando quer ser acariciado, em vez de você decidir se quer fazê-lo.

Veja também:

+ Aplicativo promete diagnosticar quando o seu gato está feliz ou não
+ Entenda por que seu gato ‘presenteia’ você com animais mortos
+ Conheça os gatos aventureiros mais famosos nas redes sociais

A pesquisa da Nottingham Trent University descobriu que quando esse conselho era seguido, os gatos eram menos propensos a se comportar de forma agressiva com seus donos e também eram mais afetuosos com eles.

A equipe usou a sigla CAT para descrever seu conselho: forneça ao gato escolha e controle [C], preste atenção [A] ao comportamento e linguagem corporal do gato e pense sobre onde ele está tocando [T] o gato.

O estudo foi conduzido por pesquisadores que monitoraram as interações dos participantes com 100 gatos alojados no gatil de Battersea, em Londres. Cada participante se envolveu com seis gatos no total, engajando-se com três antes de receberem as orientações do CAT e três depois.

Uma estratégia identificada para descobrir se seu gato estava disposto a ser acariciado foi oferecer sua mão e ver se ele interage ou não com ele, o que, se ele quiser ser acariciado, pode se manifestar no gato se esfregando contra a mão.

Se o gato decidir se afastar, parar de ronronar, começar a se limpar ou se afastar, isso pode significar que o gato está farto de suas carícias e quer que você pare. O estudo também analisou onde os gatos preferem ser acariciados, observando que a maioria dos gatos prefere ser tocada na base das orelhas, ao redor das bochechas e sob o queixo.

“Os resultados demonstram uma clara preferência entre os gatos por uma abordagem mais ‘mantenha as mãos longe’ antes de acariciar, o que, em última instância, permite que eles tomem a decisão”, disse a Dra. Lauren Finka, principal autora do estudo.

“Os gatos não são necessariamente conhecidos por serem excessivamente expressivos quando se trata de comunicar como se sentem”, acrescentou. “Isso geralmente pode causar problemas durante as carícias, porque muitos gatos podem se sentir um pouco desconfortáveis ​​às vezes, mas isso não é algo que sempre é fácil de perceber.”

  • Back to top