Quer proteger a saúde mental do seu cão? Jamais grite com ele - Pet é pop

Quer proteger a saúde mental do seu cão? Jamais grite com ele

Quer proteger a saúde mental do seu cão? Jamais grite com ele
Quer proteger a saúde mental do seu cão? Jamais grite com ele
Quer proteger a saúde mental do seu cão? Jamais grite com ele (Foto: PicsByFran/Pixabay)

De acordo com um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade do Porto, em Portugal, gritar com seu cão pode ter efeitos negativos graves na saúde mental dos cães.

Veja também:

Perder peso junto com o cão é bom para a saúde física e mental
3 maneiras fáceis de garantir a felicidade e a saúde do seu cão
Saiba o que a terapia com células-tronco pode fazer pela saúde do seu pet

O estudo, que comparou cães de escolas de treinamento que usaram métodos aversivos ou positivos, descobriu que “cães que frequentam escolas usando métodos baseados em aversão exibem mais comportamentos relacionados ao estresse e posturas corporais durante o treinamento, maiores elevações nos níveis de cortisol após o treinamento, e foram mais ‘pessimistas’ em uma tarefa de viés cognitivo.”

Da mesma forma, coleiras de choque (que causam choques dolorosos no pescoço dos cães para cruzar limites invisíveis, simplesmente usando suas vozes ou para outras “transgressões” aleatórias) podem causar ansiedade e agressão deslocada, bem como ferimentos graves que variam de queimaduras a fibrilação cardíaca.

Coleiras de estrangulamento e presas podem ferir a traqueia ou esôfago dos cães ou danificar sua pele sensível. E trancar cães como prisioneiros em suas próprias casas (com caixotes) pode causar ansiedade de separação, depressão, hiperatividade, medo e outros problemas, enquanto prolonga e complica o treinamento doméstico.

Punições dolorosas também podem destruir a confiança entre os cães e seus tutores. Essas “ferramentas” funcionam gerando medo, dor e desconfiança e, ao fazê-lo, causam danos a longo prazo.

Essas descobertas não devem surpreender. Ser gritado, puxado, chocado ou trancado é estressante e traumático para qualquer pessoa. Os cães que estão tentando aprender o que deve e o que não deve ser feito em viver com uma espécie diferente não estão se comportando mal de propósito, eles estão simplesmente se engajando em seu comportamento natural. Eles não merecem ser punidos por não compreender ou cumprir os caprichos e expectativas humanas.

Um jeito melhor

A maioria dos especialistas concorda que o reforço positivo não é apenas mais humano, mas também um método de treinamento mais eficaz. Em outras palavras, a bondade é um professor melhor (uma lição que podemos aplicar a nossas interações com outros humanos também).

Ajudar os cães, especialmente os filhotes cheios de energia, a se ajustarem à vida em um novo lar exige paciência e reforço positivo, nunca punição. Prepare os cães para o sucesso seguindo uma programação regular para as refeições, intervalos para “banheiro” (pelo menos a cada duas horas para filhotes e pelo menos quatro vezes por dia para adultos), caminhadas e brincadeiras.

O exercício diário e a estimulação mental são vitais para a saúde e felicidade dos cães, então deixe-os definir seu próprio ritmo nas caminhadas e cheirar as rosas pelo tempo que quiserem. Use uma coleira confortável para os passeios.

Envolva os cães com jogos de busca e deixe-os soltar-se no parque para cães. Forneça muitos brinquedos adequados para mastigar para que eles não tenham que recorrer a mastigar seus sapatos ou sofá. Filhotes agradavelmente cansados ​​têm muito menos probabilidade de serem destrutivos ou latir excessivamente.

Reforce o comportamento desejado com recompensas, como guloseimas, carícias, brincadeiras e elogios (o que o seu cão mais gosta). Você não só terá um cachorro feliz e confiante, mas você também terá um vínculo muito mais forte com o membro da família canino.

  • Back to top