Pare de sofrer: site alerta sobre livros, filmes e seriados em que o cão morre - Pet é pop
  • Pare de sofrer: site alerta sobre livros, filmes e seriados em que o cão morre



    O filme “Marley e Eu” foi lançado no dia de Natal em 2008. Com uma amiga a tiracolo, este editor foi ver uma das primeiras sessões do filme. Como já havia lido o livro e chorado bastante, sabia exatamente quando o cão labrador iria apresentar os primeiros sinais de que o fim se aproximava. Por isso, desabei em lágrimas antes de todo mundo.

    “Você está me constrangendo”, disse a amiga. “Pô, o cachorro vai morrer”, respondi. Para o meu conforto, em minutos o coro dos chorões tomou conta de quase toda a sala.

    Pior foi com “Sempre ao Seu Lado”. Isso porque a tortura emocional se estende por mais tempo. Todas as vezes em que aquele cão akita ía até a estação de trem esperar o Richard Gere, meu coração se despedaçava. Nas duas ocasiões, saí do cinema destroçado, corri pra casa e passei horas abraçado à minha cachorrinha.

    Se na época existisse o site Does the Dog Die? (O Cachorro Morre?, em inglês), talvez tivesse mudado de ideia. Com uma lista gigantesca, ele avisa em quais livros, filmes, seriados de TV, histórias em quadrinhos, podcasts e até videogames os cães não chegam vivos ao final.

    Em sistema de colaboração, o site permite que qualquer pessoa inclua ali uma obra em que os nossos melhores amigos sofrem. Mas não para por aí.

    Há uma lista gigantesca de categorias. Para amantes de animais, há alertas sobre obras em que gatos e cavalos morrem. E tem uma outra categoria dedicada a todos os animais que não sejam cães, gatos e cavalos.

    Pessoas que sofrem de algumas fobias são avisadas sobre trabalhos que contenham aranhas, cobras, palhaços e partos. Como assim, partos? Sim, algumas pessoas sofrem de tocofobia, o medo de gravidez e de ver um bebê vindo ao mundo.

    Os mais sensíveis são precavidos sobre obras que contenham cenas de flatulência, cusparada ou vômito. Há alertas também voltados para minorias ou grupos étnicos que avisam em que trabalhos LGBTs e negros morrem.

    Dificilmente alguma coisa que incomoda você não está contemplada na infinidade de categorias disponíveis no site. Mas, caso a sua fobia, ojeriza, medo ou aversão sejam inéditos, é só pedir para incluí-los junto com uma obra que registre o que provoca o seu desconforto.

  • Back to top