Os gatos podem ser psicopatas? Novo estudo tenta responder - Pet é pop

Os gatos podem ser psicopatas? Novo estudo tenta responder

Os gatos podem ser psicopatas? Novo estudo tenta responder
Os gatos podem ser psicopatas? Novo estudo tenta responder
Os gatos podem ser psicopatas? Novo estudo tenta responder (Foto: Trevin Rudy/Unsplash)

De acordo com um novo estudo, realizado pelos pesquisadores da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, e publicado no Journal of Research in Personality, todos os gatos têm algum grau de psicopatia.

Veja também:

+ Passear com um cão reduz o estresse bem mais do que caminhar sozinho, diz estudo
+ Homem brinca com cão do vizinho e é assassinado a tiros; entenda
+ Gatos iniciaram mais de 100 incêndios residenciais na Coreia do Sul

Para definir a psicopatia em gatos, a pesquisadora Rebecca Evans e sua equipe usaram um modelo popular de psicopatia em humanos: o modelo triárquico da psicopatia. Segundo o modelo, os psicopatas são caracterizados por três fatores principais:

  • Ousadia: os psicopatas geralmente são imunes ao estresse e apresentam baixos níveis de medo em situações que outras pessoas considerariam muito assustadoras. Ao contrário de outras pessoas, os psicopatas não evitam essas situações assustadoras.
  • Desinibição: os psicopatas são incapazes de controlar suas emoções e seus impulsos como outras pessoas e são mais propensos a agir de acordo com seus impulsos, mesmo que sejam socialmente inaceitáveis.
  • Maldade: os psicopatas não sentem empatia quando outras pessoas estão tristes ou com dor e não têm problemas em machucar outras pessoas a sangue frio para alcançar seus objetivos.

O estudo teve três partes. Na primeira parte, os pesquisadores elaboraram um questionário para donos de gatos com base no modelo.

Na segunda parte, eles aplicaram este questionário a 1.496 donos de gatos, juntamente com dois outros questionários, um sobre a personalidade do gato e outro sobre a qualidade da relação entre o gato e o dono.

Na terceira parte, 30 proprietários de gatos responderam ao questionário e foram avaliadas as associações entre os resultados do questionário e as atividades diárias do gato.

Os resultados mostraram que os três aspectos da psicopatia em humanos sugeridos no modelo triárquico da psicopatia também podem ser aplicados a gatos. Os gatos podem mostrar ousadia (por exemplo, subir muito alto em árvores ou casas sem mostrar nenhum medo), desinibição (não obedecer a comandos como não pular na mesa e comer a comida de seus donos quando mandados ficar no chão) e mesquinhez (não provocada agressão ao dono ou a outros animais).

Curiosamente, os gatos mostraram duas dimensões adicionais de psicopatia que não foram observadas em humanos: hostilidade para animais de estimação e hostilidade para humanos.

Isso significa que alguns gatos podem ser agressivos com animais de estimação, como outros cães e gatos, ao mesmo tempo que são amigáveis ​​com seus donos, enquanto outros gatos não mostram qualquer agressão com outros animais de estimação, mas são agressivos com seus donos (por exemplo, arranhando-os ou mordendo-os).

No entanto, a pesquisa mostrou que nem todos os aspectos da psicopatia em gatos eram negativos para a relação gato-dono. A mesquinhez e a ousadia previu uma menor satisfação do proprietário com seu relacionamento com seu gato. Em contraste, a falta de simpatia pelos animais de estimação e a desinibição previam uma maior satisfação do dono com seu relacionamento com o gato.

Assim, alguns proprietários realmente interpretaram os comportamentos associados a esses aspectos da psicopatia como positivos. Isso faz sentido, pois eles podem estar relacionados ao gato que busca proximidade com seu dono. Por exemplo, se um gato mostra sinais de desinibição pulando na mesa durante o jantar, alguns proprietários podem achar isso fofo.

  • Back to top