Mulher embriagada se diz possuída, esfaqueia gato e guarda no freezer - Pet é pop

Mulher embriagada se diz possuída, esfaqueia gato e guarda no freezer

Mulher embriagada se diz possuída, esfaqueia gato e guarda no freezer
Mulher embriagada se diz possuída, esfaqueia gato e guarda no freezer
Mulher embriagada se diz possuída, esfaqueia gato e guarda no freezer (Foto: Milada Vigerova/Unsplash)

A dona de um gato esfaqueou seu animal de estimação dez vezes antes de colocá-lo no freezer e chamar a polícia para confessar o crime.

Veja também:

+ Os cães são capazes de chorar? Veja o que dizem os veterinários
+ Fake news: gato mais velho do mundo não está vivo… morreu aos 32 anos!
+ Vídeo: mulher se arrisca para salvar três cães em rua de tráfego intenso

Suzanne Bennett, de 48 anos, esfaqueou a gata preta e branca, chamada Poppy, em um ataque de embriaguez depois que ela bebeu três garrafas de vinho branco. Quando os policiais correram para sua casa em Radcliffe, em Grande Manchester, no Reino Unido, eles ouviram o gato miando angustiado de dentro do freezer.

Depois de resgatar Poppy, eles viram que ela tinha feridas de faca na perna e no pescoço e a levaram às pressas para um veterinário, de acordo com o Manchester Evening News. O Tribunal de Magistrados de Wigan ouviu que o gato teve uma recuperação milagrosa e agora está sob os cuidados da RSPCA.

Segundo Suzanne, que tinha dois outros gatos, ela atacou o felino porque tem “um lado angelical e um lado satânico”. Ela admitiu ter causado sofrimento desnecessário e foi poupada da prisão, mas deve cumprir serviço comunitário por 18 meses.

Bennett também foi condenada a cumprir um requisito de tratamento de alcoolismo de nove meses, foi multada em £ 100 (R$ 736) e obrigada a pagar £ 300 (R$ 2180) em contas de veterinárias e £ 95 (R$ 690) em despesas.

Anna McDonald, promotora, disse ao tribunal que um veterinário descobriu que o gato havia sido esfaqueado “várias vezes” e tinha feridas “variando de um furo de um milímetro a um furo de quatro centímetros”. Bennett, que não tinha condenações anteriores, foi proibida de manter qualquer animal de estimação por cinco anos.

  • Back to top