Mulher deixa cadela trancada em gaiola e sai para duas semanas de férias - Pet é pop

Mulher deixa cadela trancada em gaiola e sai para duas semanas de férias

Mulher deixa cadela trancada em gaiola e sai para duas semanas de férias
Mulher deixa cadela trancada em gaiola e sai para duas semanas de férias
Mulher deixa cadela trancada em gaiola e sai para duas semanas de férias (Foto: Victor Grabarczyk/Unsplash)

Uma mulher foi proibida de ter animais por uma década depois de deixar sua cadela em uma gaiola para morrer enquanto ela saía de férias por duas semanas.

Veja também:

+ Mulher dá o peito para o gato mamar dentro de avião e se recusa a devolver o bichano para a gaiola
+ Universidade do Texas chora a morte de Domino, seu gato mais famoso
+ Vídeo fofo: cadela comemora aniversário com amigos fantasiados de sereia na piscina

Jade Roberts, de 26 anos, se declarou culpada de causar sofrimento desnecessário a uma cadela Staffordshire Bull Terrier chamada Daisy. A RSPCA (Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals) investigou o caso após receber uma ligação sobre o bem-estar do cão em agosto de 2021.

Quando a inspetora Leanne Cragg visitou a propriedade em Liverpool, no Reino Unido, ela descobriu que a cadela já estava morta. Daisy estava viva pela última vez em 31 de julho de 2021, quando Jade saiu de férias por 14 dias.

“Ao entrar na propriedade, fui atingido por um fedor insuportável de carne em decomposição. Havia um monte de moscas vivas voando sobre a propriedade”, disse a inspetora Leanne Cragg ao site Liverpool Echo.

“Eu podia ver um cão da raça Staffordshire Bull Terrier morto, em decomposição, em uma extremidade de uma grande gaiola na sala da frente. A base da gaiola estava coberta por uma camada de fezes velhas. Na frente da gaiola havia uma tigela de plástico turquesa de cabeça para baixo, uma tigela de metal com comida seca e outra tigela de metal que estava vazia”, relatou.

“A propriedade estava bagunçada e suja com roupas e lixo espalhados por toda a mobília e chão. Tirei Daisy da jaula e pude ver que o corpo dela estava muito decomposto com os olhos faltando, havia buracos direto em seu corpo e havia muitas larvas de tamanhos variados. Foi uma visão muito triste e que poderia facilmente ter sido evitada”, acrescentou ela.

A mulher foi condenada a 12 semanas de prisão, suspensa por 12 meses, recebeu exigência de 20 dias de atividade de reabilitação, exigência de tratamento de saúde mental por seis meses e uma sobretaxa de vítima de £ 128 (cerca de R$ 800) no Tribunal de Magistrados de Northampton.

Além disso, ela foi proibida de manter todos os animais por 10 anos e foi condenada a pagar £ 500 (R$ 3100) em custos. Em sua defesa, ela saiu de férias alegando ter arranjado um amigo para cuidar de Daisy enquanto estava fora, dizendo que estava lidando com questões pessoais na época.



  • Back to top