Muito provavelmente você está treinando seu gato do jeito errado - Pet é pop

Muito provavelmente você está treinando seu gato do jeito errado

Muito provavelmente você está treinando seu gato do jeito errado
Muito provavelmente você está treinando seu gato do jeito errado
Muito provavelmente você está treinando seu gato do jeito errado (Foto: Erik Jan Leusink/Unsplash)

A discussão sobre treinamento de cães é mais frequente do que o treinamento de gatos. No entanto, isso não deveria ser assim. Assim como os caninos, os gatos podem se beneficiar de melhorias de comportamento com um bom treinamento.

Veja também:

+ Vídeo: youtuber recria cena clássica de ‘Jurassic Park’ com gato no lugar dos dinossauros
+ Vídeo mostra vizinho emprestando carrinho para cão que não consegue andar chegar em casa
+ Nova funcionalidade do Google procura sósias do seu pet em obras de arte

“As pessoas tradicionalmente não treinam gatos porque pensam que eles são… independentes e cheios de livre arbítrio”, diz Sarah Ellis, co-autora do best-seller sobre treinamento de gatos, The Trainable Cat. “O que eles não percebem, porém, é que estão subconscientemente treinando seus gatos diariamente.”

1. Atenção desejada

A má notícia é que você costuma treinar seu gato para fazer o oposto do que você deseja. Quantas vezes você gritou “não!” e correu para tirar seu gato do balcão da cozinha? E, no entanto, ele nunca parece aprender. Há uma razão para isso.

Você pensa que está repreendendo, mas está “inadvertidamente dando atenção ao gato, o que, na cabeça dele, é melhor do que nada, e por isso é gratificante”, de acordo com a especialista em comportamento felino Mikel Delgado, da Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Califórnia, Davis.

É um princípio básico de treinamento: se um comportamento resultar em algo de que o animal goste, ele o fará de novo. Portanto, pare de permitir que esse princípio trabalhe contra você e, em vez disso, faça-o trabalhar a seu favor. “Recompense o que você gosta e ignore o que você não gosta”, acrescentou Delgado.

2. O poder do reforço positivo

O treinamento oferece uma maneira mais eficaz de se comunicar e você pode até descobrir que seu gato se comunica de volta. Delgado viu isso quando ensinou sua gata a usar o poste de arranhar em vez de tentar ensiná-la a não arranhar o sofá. “Quando minha gata queria uma guloseima, ela ia até o poste de coçar e colocava a pata nele e olhava eu tipo, ‘Ei, você vai me dar uma surpresa por isso?'”, brincou ela.

Quando você começar a ignorar um comportamento indesejável, precisará se manter firme durante o “estouro da extinção”, como os treinadores o chamam. “Inicialmente o animal vai se esforçar mais, então se você parar de se levantar para alimentar seu gato no meio da noite ele provavelmente miará mais alto e pisará no seu rosto”, explicou Delgado. “Você tem que ser muito consistente em não responder.”

Para começar a ensinar seu gato a fazer as coisas que você deseja, Ellis sugere treiná-lo para vir quando for chamado. Fique a dois ou três metros de distância, chame o nome do seu amigo felino para chamar sua atenção e diga “venha” e estenda uma guloseima.

Se necessário, estenda a mão com a guloseima e, em seguida, mova-a para mais perto de seu corpo para fazer o gato segui-la. Repita até que o gato comece a responder de forma consistente e, então, chame-o gradualmente de cada vez mais longe.

3. Boas recompensas

Depois disso, você pode começar a treinar seu gato para ter comportamentos mais desafiadores, mas úteis, como tolerar cortes de unhas ou entrar voluntariamente em uma caixa transportadora.

Sempre divida o processo em pequenos passos. Para cortar as unhas, comece recompensando seu gato repetidamente por apenas permitir que uma pata fosse tocada. Quando seu gato estiver confortável com isso, dê a ele um petisco ao pressionar sua pata suavemente para estender a garra.

Passo a passo, vá cortando uma unha e, a seguir, mais de uma de cada vez. O processo pode parecer tedioso, mas vale a pena por uma vida inteira sem lutar com as rotinas de cuidados básicos.

Certifique-se de usar recompensas alimentares que entusiasmam seu gato: se ração não for empolgante o suficiente, experimente guloseimas macias ou pedaços de comida enlatada.

Essas recompensas devem ser muito pequenas e certifique-se de reduzir um pouco as refeições regulares do seu animal de estimação para evitar o ganho de peso. Treine em sessões muito curtas e não tente progredir muito rapidamente.

O treinamento vale o esforço: é mais fácil para você cuidar do seu gato, além de construir seu relacionamento. As pessoas que treinam seus felinos “sentem que seu gato não é apenas uma criatura obstinada e obstinada que faz coisas para irritá-los”, segundo Delgado. “Existem benefícios reais para a relação humano-animal, e não é tão difícil quanto você pensa.”



  • Back to top