Mitos e verdades sobre a limpeza e a higiene dos gatos - Pet é pop

Mitos e verdades sobre a limpeza e a higiene dos gatos

Mitos e verdades sobre a limpeza e a higiene dos gatos
Mitos e verdades sobre a limpeza e a higiene dos gatos
Mitos e verdades sobre a limpeza e a higiene dos gatos (Foto: Pixabay)

Os gatos são queridos por milhões de brasileiros, e uma prova disso é que eles já estão presentes em mais de 14,1 milhões de residências no Brasil, segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2019. Pensando nisso, Cafuné, marca de produtos para cuidados com animais de estimação recém lançada pela Unilever no Brasil, convidou os médicos veterinários Rita Ericson e Ronaldo Lucas para desmistificar os estigmas acerca da higiene dos felinos, incentivando o bem estar na relação entre tutor e pet, e claro, para retribuir em forma de cuidado o amor que esses animais proporcionam. 

Veja também:

Mito #1: Podemos usar produtos de humanos no banho do gato. 

Assim como nós, os gatos precisam de cuidados e produtos específicos para higiene, entretanto, a estrutura da pele e os sentidos dos animais são diferentes aos dos seres humanos em muitos aspectos, como aponta o médico veterinário dermatologista Dr. Ronaldo Lucas: “A pele dos humanos por exemplo, possui mais camadas que a pele dos gatos, além disso o olfato dos felinos é muito mais desenvolvido que o nosso. Os cuidados com a higiene e limpeza, tanto do pet quanto do ambiente, são fundamentais para que a convivência entre nós e eles ocorra plenamente. Escolher produtos que não agridam ou ressequem a pele, que não interfiram no super olfato deles ou que não causem doenças alérgicas, tanto dermatológicas quanto respiratórias, são exemplos do que é cuidar com carinho, dedicação e atenção do nosso animal de estimação.” 

Mito #2: Os gatos não gostam que limpem a caixa de areia. 

Na verdade, é exatamente o oposto, os gatos adoram caixas muito limpas! A higienização correta da caixa de areia é indispensável para a qualidade de vida deles, sendo importante retirar as fezes e os torrões de urina, de preferência, sempre que o gato usar a caixa. Além disso, aproximadamente, uma vez por semana, deve ser feita a limpeza completa, aquela em que o tutor troca a areia e lava o recipiente. 

Mito #3: Devo higienizar as patas do meu gato com álcool por conta da COVID-19. 

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, o álcool 70% ou em gel se tornou indispensável para os humanos na prevenção do vírus, entretanto, não devemos usar álcool nos animais. Além de causar um efeito aversivo, o álcool é uma substância química que pode causar reações na pele e mucosas dos animais. No caso dos gatos, a situação é ainda mais crítica pois eles possuem o hábito de se lamber e, consequentemente, podem ingerir o produto.  

Os animais não desenvolvem o vírus da COVID-19, mas podem funcionar como carregadores, assim como uma maçaneta ou uma sacola de supermercado. No caso de higienizar o corpo dos animais, a Dra. Rita recomenda lavar com água e produtos adequados. Itens sem fragrâncias e específicos para animais é uma opção segura e saudável para higienizar o gato.

Mito #4: Nenhum gato precisa tomar banho.  

É verdade que os gatos passam muitas horas se lambendo para se limpar, mas existem casos em que o tutor deve estar atento com a necessidade de higienizar o seu pet, como em situações de obesidade, incapacidade física de se limpar sozinho, durante tratamentos dermatológicos ou quando se sujam com algum produto tóxico. Nesses casos, a Dra. Rita recomenda o uso de toalhas umedecidas sem fragrâncias ou, se for realmente necessário e o tutor ser capaz de dar um banho no seu gato com o mínimo de estresse, ela recomenda: primeiro escolher produtos adequados sem ou com fragrâncias suaves para não remover e nem mascarar o odor natural do pet e, em seguida, para evitar arranhões no tutor, cortar as unhas do felino e separar o banho em três etapas com o auxílio de três baldes bem cheios com água morna. No primeiro balde se mergulha o gato até o pescoço, logo após é feita a limpeza do felino com os produtos adequados para não causar nenhum desconforto e, por fim, se mergulha o gato no segundo e terceiro balde para enxaguar e retirar qualquer excesso de produto. Se o dia estiver quente, o gato pode se secar ao sol, caso contrário, opte por uma toalha ou secador que deve ser usado com cuidado dado que eles costumam detestar e, para finalizar, vale uma boa escovação. 

  • Back to top