Maioria dos gatos de rua morre antes de completar um ano; como salvá-los? - Pet é pop

Maioria dos gatos de rua morre antes de completar um ano; como salvá-los?

Maioria dos gatos de rua morre antes de completar um ano; como salvá-los?
Maioria dos gatos de rua morre antes de completar um ano; como salvá-los?
Maioria dos gatos de rua morre antes de completar um ano; como salvá-los? (Foto: Gijs Coolen/Unsplash)

De acordo com diversos estudos, os gatos de rua têm uma vida muito mais curta do que gatos domésticos, com menos da metade sobrevivendo no primeiro ano.

Veja também:

+ Vídeo viral: dona pede, e cão traz o gato de volta pra dentro da loja
+ Para fugir do furacão Ida, dona voa com seus 8 gatos
+ Exposição transforma gatos em obras-primas das artes plásticas

Gatos sem dono encontram os mesmos problemas e muito mais, mas sem um dono para fornecer atenção veterinária imediata. Portanto, não é nenhuma surpresa que gatos sem dono que vagam livremente tenham baixa expectativa de vida.

Por isso, é vital encontrarmos maneiras eficazes de reduzir seu número, mas qual é a melhor maneira de fazer isso? Veja quais medidas são utilizadas ao redor do mundo.

1. Eutanásia

Na Austrália, por exemplo, onde foram relatados problemas com gatos sem dono, eles são presos e removidos, e isso normalmente significa eutanásia. Em Brisbane, um programa municipal que funcionou desde 2013 reduziu com eficiência o número de gatos sem dono com eutanásia, com reclamações sobre gatos de rua caindo de cerca de 140 para apenas dez por ano, ao longo de cinco anos.

Mas, as altas taxas de eutanásia em gatos sem dono podem ser problemáticas para muitas pessoas, especialmente para veterinários que realizam a tarefa. Pode ser traumático e desafiador sacrificar gatos saudáveis ​​apenas porque eles não são desejados.

2. Programas de “captura-esterilização-retorno”

Alguns acreditam que tirar gatos e devolvê-los à vida nas ruas, com alimentação suplementar, é uma solução para um grande número de gatos indesejados, porque evita a eutanásia. Mas, estudos mostraram que programas de retorno após a esterilização encorajam o abandono de gatos indesejados em estações de alimentação. O número de gatos pode realmente aumentar, apesar dos melhores esforços.

E qual é a qualidade de vida dos gatos que retornam? Dadas as vidas difíceis e curtas dos gatos que vagam livremente, os programas de devolução após a castração são indiscutivelmente uma escolha menos ética, com resultados de bem-estar insuficientes para os próprios gatos. Houve até chamadas no Japão para revisar as políticas de devolução de castração por armadilha por causa da saúde precária e do bem-estar dos gatos.

Devolver animais castrados ao local onde foram encontrados também pode violar as leis estaduais. Aplicar essas leis é fundamental para reduzir as populações de gatos sem dono, melhorar o bem-estar dos gatos e desencorajar o descarte de animais de estimação indesejados.

3. Adote um gato

Em maio, o governo australiano divulgou um plano ambicioso e direcionado de dez anos com a visão de que, até 2031, “todos os gatos do país serão possuídos, procurados e cuidados por donos responsáveis”. É um exemplo do que a comunidade pode fazer para melhorar a vida dos gatos e acreditamos que deve ser modelado em outros lugares.

O plano foi desenvolvido para elevar os padrões de boas práticas, reconhecendo o dever de cuidado necessário para garantir a saúde e o bem-estar dos gatos.

Isso começa com donos responsáveis. Exige uma melhor conformidade com a castração e registro obrigatórios. Para encorajar as pessoas a obedecerem, o governo implementará a castração gratuita ou de baixo custo e a microchipagem gratuita. A contenção obrigatória para novos gatos adquiridos após 1º de julho de 2022 também está prevista.

O plano fornece uma estratégia para capturar gatos errantes, com melhorias em como os gatos de estimação podem ser identificados e devolvidos aos seus donos, enquanto os gatos da vizinhança sem dono serão colocados para adoção.

Então, o que fazemos a respeito?

Sabemos que duas tarefas são críticas: remover gatos sem dono das ruas e reduzir a reprodução indesejada e o abandono de gatos.

Programas de devolução de esterilização por armadilha podem fazer mais mal do que bem, porque os gatos ainda vivem uma vida difícil nas ruas e podem fazer com que algumas pessoas se sintam confortáveis ​​em abandonar gatos indesejados nos locais de soltura. E embora a eutanásia tenha se mostrado eficaz, pode ser uma escolha difícil.

Por isso, a melhor opção é que governos de todo o mundo aumentem os esforços para socializar e adotar gatos sem dono, e fazer cumprir as leis que impeçam os gatos de perambular pelas ruas. Isso exigirá um enorme esforço com a educação da comunidade, mas é uma escolha compassiva abordar todos os problemas causados ​​por gatos soltos (com ou sem dono).

  • Back to top