Legalização da maconha força a aposentadoria de cães farejadores nos EUA - Pet é pop

Legalização da maconha força a aposentadoria de cães farejadores nos EUA

Legalização da maconha força a aposentadoria de cães farejadores nos EUA
Legalização da maconha força a aposentadoria de cães farejadores nos EUA
Legalização da maconha força a aposentadoria de cães farejadores nos EUA (Foto: Altino Dantas/Unsplash)

Após a legalização do porte de até 30 gramas de maconha a partir de julho no estado da Virginia, EUA, cerca de 15 cães farejadores de drogas deverão ser aposentados precocemente.

Veja também:

+ Cães passeiam no parque, comem resto de maconha e vão parar no hospital
+ 4 razões para você dar petiscos com CBD ao seu cão
+ 4 terapias não tradicionais que vão fazer seu cão viver mais e melhor

Uma vez que o cão não consegue discernir entre uma grande quantidade de cannabis e um único baseado, e porque um cão treinado para detectar cocaína e maconha não pode informar a seu dono qual dos tipos de droga foi detectado, o único caminho a seguir para as unidades de narcóticos da polícia é se aposentar seus cães farejadores de drogas e adquirir novos cães treinados apenas para alertar o cheiro de cocaína, heroína ou outras substâncias que ainda fazem parte da guerra contra as drogas dos EUA.

Para os defensores de direitos civis, isso é um bom desenvolvimento. Acontece que os cães farejadores são ruins em detectar drogas. Na maioria das vezes, eles simplesmente respondem aos comandos de seu treinador e ignoram quaisquer odores que estejam realmente lá fora. Ou seja, o cão farejador não está lá para farejar drogas. O cão está lá apenas para dar à polícia uma causa provável para revistar e para apreender veículos e deter pessoas que mais tarde se revelaram inocentes.

Um bom exemplo disso é Karma, um cão farejador de drogas de Washington, EUA. A unidade era comandada pelo ex-chefe de polícia da República Loren Culp e Karma detectava drogas toda vez que fazia uma busca. O problema é que o cão “detectava drogas” mesmo quando não havia drogas presentes.  “Quando ele teve a chance de impedir o confisco do veículo de um proprietário inocente, sua taxa de sucesso foi de zero por cento”, relatou o site Reason.

Estudiosos e observadores da justiça criminal americana afirmam que os problemas parecidos com os de Karma são encontrados há anos nos Estados Unidos, onde quer que cães farejadores sejam empregados.

A legalização da maconha não é a única razão pela qual o valor e o propósito dos cães farejadores estão sendo reavaliados. Os tribunais estão se tornando cada vez mais conscientes de que cães farejadores simplesmente não são bons em encontrar drogas.

Mas, para onde vão os cachorros aposentados? Na Virginia, os cães estão todos sendo adotados e indo para casa com seus treinadores de polícia.

  • Back to top