Humanos estão decepando patas de cães e gatos, e veterinária suspeita de magia negra - Pet é pop

Humanos estão decepando patas de cães e gatos, e veterinária suspeita de magia negra

Humanos estão decepando patas de cães e gatos, e veterinária suspeita de magia negra
Humanos estão decepando patas de cães e gatos, e veterinária suspeita de magia negra
Humanos estão decepando patas de cães e gatos, e veterinária suspeita de magia negra (Foto: Syed Ali/Unsplash)

De acordo com uma veterinária da província de Diyarbakir, no sudeste da Turquia, pessoas podem estar cortando as patas de cães e gatos para fazer magia negra.

Veja também:

Gatinho com três patas mostra evolução graças a um amigo perfeito
Confira os cuidados que você deve ter com o seu pet nas festas de fim de ano
Trabalhar em casa com um pet é terapêutico, diz psicólogo

A veterinária Nurhan Kahraman comentou sobre a notícia de que as patas de um gato, chamado “Melek” (anjo em turco), foram cortadas. O gato morreu apesar dos esforços médicos para salvá-lo.

“Quando o gato foi trazido para mim, suas duas pernas estavam amputadas. Não foi devido a um acidente. A pele das pernas foi cuidadosamente removida. Foi feito de propósito”, disse Kahraman, destacando que as patas cortadas não foram encontradas.

“Alguém que fez isso arrancou as pernas. Então, isso nos lembra de uma coisa que pode ser a causa do ataque: feitiçaria”, acrescentou ela.

Ela também destacou que recentemente um cachorrinho chamado “Pamuk” (algodão em turco) foi atacado na província de Samsun, no Mar Negro, e suas duas patas foram cortadas.

Pamuk teve suas patas dianteiras decepadas com um machado (Foto: Demirören News Agency)

Tuba Göklü, uma técnica de saúde que trabalha para a veterinária, disse que testemunhou tais ataques a animais para feitiçaria em sua experiência anterior de trabalho com animais de estimação.

“Quando eu estava trabalhando em Izmir, conhecemos alguém que se autodenominava vidente. Ele disse que era capaz de ler mentes com o sangue que costumava remover dos pombos”, disse ela.

Segundo Göklü, o que ela viu foi “ferocidade e ignorância”.

“Infelizmente, não conseguimos salvar Melek. Com esta situação, mais uma vez testemunhei outro ataque inspirado em feitiçaria. Crenças supersticiosas nos mostram como o público permanece sem educação”, acrescentou ela.

Em 5 de dezembro, um médico encontrou o gato no porão de seu apartamento gritando de dor e o levou diretamente para Kahraman. A veterinária fez os primeiros socorros e chamou o gato de “Melek”. No entanto, o gato só conseguiu viver por um dia, pois havia perdido muito sangue.

  • Back to top