Gatos ficaram mais afetuosos durante a pandemia, indica estudo - Pet é pop

Gatos ficaram mais afetuosos durante a pandemia, indica estudo

Gatos ficaram mais afetuosos durante a pandemia, indica estudo
Gatos ficaram mais afetuosos durante a pandemia, indica estudo
Gatos ficaram mais afetuosos durante a pandemia, indica estudo (Foto: Paul Hanaoka/Unsplash)

Um novo estudo revelou que o tempo extra com os donos durante a pandemia do coronavírus fez muitos gatos parecerem mais afetuosos.

Veja também:

+ Confira 11 plantas comuns em casa e que são tóxicas para cães e gatos
+ Cães e gatos podem pegar Covid de seus donos, indica estudo
+ Vídeo: gato volta molhado pra casa todos os dias; donos registraram a surpreendente causa da humidade

Uma equipe liderada por pesquisadores das Universidades de York e Lincoln, no Reino Unido, entrevistou 5.323 pessoas com animais de companhia, incluindo cavalos, répteis, pássaros e peixes, junto com os donos de gatos e cães, para ver qual o efeito das enormes mudanças em humanos rotinas tiveram sobre eles.

Mais de 65 por cento dos participantes relataram mudanças no comportamento de seus animais durante a primeira quarentena de 2020. Os participantes responderam a vários conjuntos de perguntas sobre seus animais, sua própria saúde mental e seus relacionamentos com os bichanos.

No geral, muitos proprietários relataram melhorias em seus animais de companhia, mas de todas as espécies, os cães exibiram as alterações mais negativas. “Meu cachorro ficou muito mais carente e uiva se eu sair de casa sem ele, mesmo que seja só para fazer jardinagem e ele puder me ver”, explicou um participante. “Voltar ao trabalho será muito difícil para ele.”

Cerca de 10% dos donos de cães, gatos e cavalos notaram que seus animais de estimação ficaram incomodados com as mudanças, mas até 30% descobriram que pareciam mais relaxados e até 15% observaram que seus animais de estimação eram mais enérgicos e brincalhões.

Cerca de um terço dos proprietários, principalmente os pais de cães e gatos, notaram que seus companheiros animais os seguiam mais do que o normal. Um grande problema identificado pelos proprietários de cães foram as mudanças nas rotinas de exercícios e na socialização.

“Meu cachorro sente falta da socialização, ele não entende o que aconteceu”, disse um entrevistado da pesquisa. “Ele é um Labrador muito amigável e não entende porque as pessoas não vão mais fazer barulho com ele, as pessoas cruzam a rua para evitá-lo.”

Também havia alguns gatos que estavam perdendo suas interações habituais. “Meu gato é um gato de terapia registrado. Estamos perdendo nossas visitas; estamos ansiosos para voltar para visitar seus fãs. Ele está perdendo toda a sua adoração e agitação.”

Emily Shoesmith, cientista de saúde da Universidade de York, e colegas também examinaram a saúde mental dos proprietários antes e durante os bloqueios para ver se isso estava associado a alguma das mudanças.

“Nossas descobertas indicam que uma saúde mental mais pobre pode aumentar a atenção dada ao animal de companhia”, justificou Shoesmith. “O envolvimento empático pode aumentar o relato de quaisquer mudanças, tanto positivas quanto negativas, no bem-estar animal e no comportamento.”

Esta pesquisa foi publicada no International Journal of Environmental Research and Public Health.

  • Back to top