Fotos: conheça a história de alguns cães heróis preparados para a guerra - Pet é pop

Fotos: conheça a história de alguns cães heróis preparados para a guerra



Nesta segunda-feira, dia 27, é comemorado nos EUA o Memorial Day. É uma data em que o país homenageia os mortos nos diversos combates nos quais os americanos se meteram ao longo da história. Como o assunto aqui é pet, nós lembramos que os soldados dos EUA jamais vão para a guerra sem a companhia de cães, que enfrentam corajosamente os perigos.

E as fotos abaixo mostram a importância do nosso melhor amigo em situações de combate, como bem definiu o general americano David Petraeus: “A capacidade que eles trazem para a batalha não pode ser replicada pelo homem ou por uma máquina. Por todas as medidas de desempenho, seu rendimento supera qualquer ativo que tenhamos em nosso arsenal”.

 

O cão que virou sargento
Fotos Defense Media Network

Sem raça definida, mas com boas porções de pitbull em seu DNA, Stubby (19161926) foi o cão de guerra mais condecorado da Primeira Guerra Mundial. Por suas atuações em combate, tornou-se o único cão a ser promovido a sargento. Ele serviu por 18 meses e participou de 17 batalhas. Entre suas proezas estão o salvamento de um regimento atacado com gás mostarda, o resgate de feridos e a prisão de um espião alemão. Depois da guerra, voltou para casa como celebridade e teve suas patas apertadas por três presidentes americanos. Depois de morto, teve seu corpo embalsamado, ostentando todas as condecorações, e hoje está exposto no Instituto Smithsonian, em Washington

 

Vigiando a retaguarda

Enquanto o fuzileiro naval Brandon Mann faz pontaria com seu fuzil, o cão Ty cuida da retaguarda durante um treinamento de inspeção em fevereiro de 2012. Ty é especialista em detecção de explosivos.

 

De carona

Mascote do 1º Batalhão da 17ª Infantaria, Cookie passeia na mochila de um soldado. Apesar da serenidade no olhar do cão, eles estão em Jeleran, região conflagrada do Afeganistão, em novembro de 2009.

 

Convidado ou bicão?

Em 1918, soldados do Exército americano confraternizam no centro de treinamento de Camp Dix, em Nova Jersey. O autor da foto não perpetuou para a história o nome do cãozinho e o que ele está fazendo ali.

 

Em pleno voo

O aviador da Força Aérea dos EUA Steve Hanks conduz o treinamento da cadela Ada, durante uma demonstração na base aérea de Offutt, em Nebrasca. A apresentação fez parte de um programa para estudantes do ensino médio interessados em se alistar na Força Aérea.

 

Amigo até debaixo d’água

Pluto foi mascote do navio HMS Cossack durante a Segunda Guerra Mundial. Além de ótima companhia, o cão ajudou os marinheiros nos treinamentos para driblar torpedos e combater submarinos inimigos.

 

Pausa no meio da guerra

O fuzileiro naval Evan Frickey, então com 21 anos, brinca com Cookie, um cão especializado na detecção de explosivos. E havia muitos deles quando e onde a foto foi feita, em 2012, no Afeganistão.

 

Segurança no acampamento

O célebre tenente George Custer (1839-1876) posa com seu cão durante a Campanha da Península, em 1862, durante a Guerra Civil Americana (1861-1865). Custer foi oficial do Exército dos Estados Unidos e comandante de cavalaria na Guerra Civil e nas guerras contra os índios. E foram os indígenas que mataram o militar durante a batalha de Little Big Horn.

 

Sem medo de altura

O cão Dusty é içado em uma cesta para dentro do helicóptero MH-60 Jathawk, durante treinamento na baía de San Diego em setembro de 2008.

 

Vigília durante o sono


Um fuzileiro naval dos EUA tira uma soneca ao lado de Butch, o seu cão de guerra. O local é Iwo Jima, e a data, fevereiro de 1945.

 

O adeus ao general

O bull terrier Willie parece lamentar a morte de seu dono, o mitológico general americano George Patton (1885-1945). Líder das forças no Mediterrâneo e na Europa, ele conduziu os aliados à vitória e saiu da guerra são e salvo. Mas acabou morrendo no mesmo ano do fim do conflito, devido a um acidente entre dois veículos militares dos EUA.

Sempre alerta

Os fuzileiros navais Matthew Scofield e Jarret Hatley dormem sossegadamente porque sabem o cão Blue, que tem sono leve, não vai deixar nenhum perigo se aproximar.

 

Trilha na mata

Soldados americanos conduzem seus cães para a linha de frente nas matas em direção a Bougainville, na França durante a Segunda Guerra Mundial.

Trabalho em equipe


Durante patrulha em Marjah, na província de Helmand, Afeganistão, o soldado William Sullivan e seu cão, Coal, cuidam da segurança na área.

 

Boca escancarada cheia de dentes

Apesar do nome de refrigerante, a cadela Fanta não dá refresco para inimigos. Aqui ela parece ter detectado alguém com más intenções e reage furiosamente. A cena aconteceu na base aérea de Osam, na Coreia do Sul, em junho de 2011.

 

Salto sincronizado

Soldado e seu cão saltam da rampa de um helicóptero CH-47 Chinook, durante treinamento de ataque por água no Golfo do México, em 1º de março de 2011.

 

Descanso remunerado


Após um dia inteiro de trabalho, o cão Karlo desfruta de alguns raios de sol em Kirkuk, no Iraque, em 20 de março de 2008.

Veja também

+ Golden retriever obeso é abandonado, ganha nova família e perde 45 kg

+ Artista recria rostos de imperadores romanos

+App permite testar melhor design de sobrancelhas para você

+McDonald’s vende molho especial pela primeira vez no Brasil

+ Veja cinco coisas que provocam mau cheiro em cães e saiba como combatê-las

+ Edu Guedes faz desabafo sobre acidente de moto: ‘O susto foi grande’

+ Saiba mais sobre a vacina BCG, uma das mais importantes da infância

+ 4 passos fáceis para limpar o espelho com produto caseiro

+ Dançarina é condenada 3 anos de prisão por causa de vídeos no TikTok

+ Fazer o bem alivia dores físicas e mentais, aponta estudo


  • Back to top