Fotos comoventes registram pastor alemão que se recusa a sair de perto da cova do dono - Pet é pop

Fotos comoventes registram pastor alemão que se recusa a sair de perto da cova do dono

Fotos comoventes registram pastor alemão que se recusa a sair de perto da cova do dono
Fotos comoventes registram pastor alemão que se recusa a sair de perto da cova do dono
Fotos comoventes registram pastor alemão que se recusa a sair de perto da cova do dono (Foto: Reprodução/Instagram)

O cachorro Fero se recusou a sair do lado do túmulo de seu dono, o turco Ömer Güven, desde que ele morreu, há uma semana.

Veja também:

+ Vídeo: filhote ‘rouba’ brinquedo de pastor alemão, que usa esperteza para recuperá-lo
+ Vídeo: cachorro que brinca de amarelinha enlouquece a internet
+ Vídeo: Youtuber constrói elevador para seu gato de 20 anos que não consegue mais usar escadas

Depois que a esposa de Ömer morreu há cerca de 12 anos, ele se mudou para o distrito de Kaymakli, no norte da Turquia. Lá ele começou a cuidar de cães e gatos de rua, de acordo com o site de notícias Olay53.

Ömer era amplamente respeitado e considerado um amante dos animais pelas pessoas ao seu redor. Há cerca de 11 anos, ele começou a cuidar de um filhote de pastor alemão, a quem deu o nome de Fero. Infelizmente, no mês passado, ele adoeceu e foi levado ao hospital, onde faleceu aos 92 anos.

Segundo relatos, Fero vigiou o caixão até o enterro no dia seguinte e desde então está deitado sobre o túmulo de seu dono. Testemunhas disseram que Fero se recusa a ser movido e é visto esfregando a cabeça no chão.

(Foto: Reprodução)

“Meu pai amava muito Fero. Ele também tinha um amor incrível pelo meu pai. Ele estava tão triste com a perda do meu pai. Ele não comeu nem dormiu por dois dias. Meu pai amava todos os animais e os mantinha, mas ele tinha uma ligação especial com Fero”, disse a filha de Ömer, Sevilay Surul.

Sua outra filha, Sevil Guven, acrescentou: “Meu pai era uma pessoa alegre que amava tanto as pessoas quanto os animais. Fero veio para a aldeia como um cachorro de rua. Ele adotou Fero e o amou muito.”

O líder comunitário de Kaymakli, Temel Yilmaz, também disse: “Tio Ömer cuidava muito bem dos animais. Fero ficou arrasado quando faleceu. Nós até vimos lágrimas escorrendo dos olhos de Fero.”

'Fero', 7. günde de sahibinin mezarı başından ayrılmadı
(Foto: Reprodução)

De acordo com especialistas, os cães que esperam nos túmulos de seus humanos podem estar esperando no último lugar em que detectaram seus humanos pelo cheiro. Alguns sugerem que eles podem detectar o cheiro dos corpos de seus humanos mesmo depois de enterrados.

O especialista Stanley Coren, professor de psicologia da Universidade de British Columbia, disse que os cães não entendem que a morte é definitiva. “Eu odeio dizer isso – mas em alguns aspectos, eles podem ter isso melhor do que nós, porque pelo menos eles ainda têm aquele vislumbre de esperança”, explicou ele ao site DogTime.



  • Back to top