Fim dos embolados: saiba como deixar os pelos do seu cão livre de nós - Pet é pop

Fim dos embolados: saiba como deixar os pelos do seu cão livre de nós

Fim dos embolados: saiba como deixar os pelos do seu cão livre de nós
Fim dos embolados: saiba como deixar os pelos do seu cão livre de nós
Fim dos embolados: saiba como deixar os pelos do seu cão livre de nós (Foto: Flouffy/Unsplash)

Uma das reclamações mais frequentes dos tutores de cachorros é sobre os nós que se formam nos pelos dos animais. Algumas raças estão mais propensas a esse tipo de problema em razão da pelagem longa, como o Shih-tzu, Lhasa Apso, Yorkshire, Maltês, entre outros. Parte da beleza dos pets e indicador de saúde, os pelos merecem atenção especial no dia a dia do animal. Além de diminuir a quantidade de pelos que solta pela casa, pois remove o excesso, a escovação frequente pode evitar, inclusive, embaraços mais complicados que poderiam machucar o animal. Além disso, o tutor consegue avaliar a presença de possíveis problemas na pele do pet durante a escovação, como presença de feridas, nódulos e ectoparasitos (pulgas, carrapatos).

Veja também:

+ Vídeo: passarinho ‘rouba’ pelos de cães, gatos e humanos para montar seu ninho
+ 4 razões para você trazer um cão ou gato pra dentro de casa agora!
+ Precavido: esquilo monta estoque com 148 quilos de nozes em picape

Segundo o coordenador do curso de Medicina Veterinária da Faculdade Anhanguera, médico-veterinário Frederico Fontanelli Vaz, grande parte dos tutores têm dificuldade quando o assunto é o cuidado dos pelos do animal.

Os pelos dos cachorros ficam embolados de forma parecida com o que acontece com o cabelo humano, a partir da fricção de um fio com o outro. Poucos dias sem a manutenção necessária já são suficientes para que os nós se formem, dependendo do pelo e do manejo do animal, o que dificulta a escovação e pode machucar o pet. Os pelos embaraçados vão aumentando até chegar na pele, causando dor, desconforto, podendo predispor ao aparecimento de feridas, além de criar um ambiente favorável a infecções bacterianas e fúngicas.

Segundo o médico veterinário, a tosa é uma boa opção para os tutores que não conseguem ter o cuidado necessário ou para os casos que a pelagem está muito embolada.

“Só cuidado com a tosa em dias mais frios, visto que o pelo é importante para a manutenção da temperatura dos animais, e em algumas raças atua na proteção da pele do cachorro”, acrescenta.

Para evitar os nós, o professor elenca as dicas a seguir. Confira!

– Banho: é importante manter uma frequência na higienização dos animais, por meio do banho, eliminando as sujeiras que ficam nos pelos, que contribuem para a formação dos nós.

– Escovação: deve ser frequente, geralmente, a cada dois dias se o animal tiver pelo longo. Nesse momento, podem ser escovados também os pelos do bigode. É importante que sejam escolhidas escovas e pentes adequados para pets, variando de acordo com o objetivo da escovação e do pelo do animal, até mesmo para evitar que os pelos quebrem durante esse cuidado ou que machuquemos o cãozinho. Na escovação, o tutor pode remover nós pequenos, mas deve deixar para um profissional remover os nós mais complicados.

– Shampoo: na hora do banho do pet, a escolha do shampoo é muito importante. Esse produto promove a limpeza e prepara a pelagem para receber outros produtos, como o condicionador, que é parte essencial nesse cuidado, tendo variadas opções no mercado pet. É muito importante solicitar orientação ao médico veterinário.

  • Back to top