Estudo revela que cães se reconhecem pelo olhar, sem farejar o traseiro alheio - Pet é pop

Estudo revela que cães se reconhecem pelo olhar, sem farejar o traseiro alheio

Estudo revela que cães se reconhecem pelo olhar, sem farejar o traseiro alheio
Estudo revela que cães se reconhecem pelo olhar, sem farejar o traseiro alheio
Estudo revela que cães se reconhecem pelo olhar, sem farejar o traseiro alheio (Foto: Sebastian Coman Travel/Unsplash)

Um estudo publicado em 2013 recentemente chamou a atenção do público. Nele, os cientistas afirmam que os cães conseguem se reconhecer pelo olhar, sem precisar farejar o traseiro um do outro.

Veja também:

Saiba como proteger a árvore de Natal contra ataques do seu gato
Conheça os cães que deram sua vida em nome da ciência
Cães podem detectar Covid-19 com mais precisão que o teste do nariz, aponta estudo

Imagine se alguns humanos adultos fossem do tamanho de gigantes e outros do tamanho de crianças de dois anos. Esse é o tipo estranho de mundo em que os cães vivem, exibindo grande variação de forma e tamanho de uma raça para a outra.

Considerando que os cães podem ser tão diferentes uns dos outros, pesquisadores franceses investigaram como os cães determinam se outro animal pertence à sua própria espécie. Embora o estudo não envolva farejar o traseiro, os pesquisadores descobriram que, como os humanos, os cães também podem reconhecer outros cães usando seus olhos.

O estudo foi publicado em 2013, mas só recentemente chamou a atenção do público depois de Benjamin Katz, um Ph.D. candidato em psicologia clínica, tuitou sobre isso com entusiasmo.

Os tweets de Katz não apenas descreviam enfaticamente o objetivo e os métodos de estudo da pesquisa. Os nove cachorros viram duas imagens por vez: uma mostrava a foto de um cachorro, a outra de outro animal (um hamster, um gato ou um humano).  Quando um dos sujeitos escolheu a imagem do cachorro, eles ganharam um petisco.

Na segunda fase, o objetivo foi invertido e os cães foram recompensados ​​quando escolheram a imagem do outro animal. O critério para um sujeito passar de uma dada tarefa para a seguinte foi estabelecido em 10 tentativas corretas de 12, por duas sessões consecutivas.

“Cada um dos nove sujeitos conseguiu agrupar todas as imagens de cães dentro da mesma categoria. Assim, os cães têm capacidade de discriminação de espécies apesar de sua grande variabilidade fenotípica, baseada apenas em imagens visuais de cabeças”, escreveram os pesquisadores da Université Paris em seu estudo.

  • Back to top