Estudo mostra que um gato só é imbecil se o dono também for - Pet é pop

Estudo mostra que um gato só é imbecil se o dono também for

Estudo mostra que um gato só é imbecil se o dono também for
Estudo mostra que um gato só é imbecil se o dono também for
Estudo mostra que um gato só é imbecil se o dono também for (Foto: Pexels/Pixabay)

Um novo estudo realizado pela Universidade do Estado do Oregon (Oregon State University) revelou que um gato só será imbecil se o dono for também.

Veja também:

A autora do artigo, Kristyn R. Vitale, disse: “Em ambos os grupos, descobrimos que passamos muito mais tempo com pessoas que prestavam atenção a eles do que com pessoas que os ignoravam.”

Em um outro estudo, Vitale descobriu que os gatos escolhem interagir com os humanos por interesse, seja alimentos ou brinquedos. A pesquisa nos culpa por pintá-los de uma uma forma negativa, porque eles são sociáveis, no entanto, o ser humano construiu uma gaiola em volta deles.

Mikel Delgado, famosa comportamentalista animal, disse: “É um estudo legal e mostra que quando estamos atentos aos gatos, eles se interessam.”

O estudo foi realizado com 46 gatos e um homem sentado no chão. Na primeira parte do teste, a pessoa ignorou o gato. Na segunda metade, eles puderam chamar o gato pelo nome e acariciá-lo se ele se aproximasse.

Em média, os gatos passam muito mais tempo perto do humano quando recebem atenção, disse Vitale. Delgado elogiou o desenho “dirigido por gatos” do estudo, observando que pesquisas anteriores sugeriram que os gatos geralmente gostam mais de interações do que demonstram.

“Mesmo na fase de atenção, o gato tinha muito controle e é realmente disso que achamos que ele gosta: a capacidade de sair quando quiserem”, disse Delgado. “Não é que eles sejam indiferentes. É só que eles querem o poder de escolha.”

O estudo revelou uma questão que poucas pessoas aceitam. Assim como um humano, que pode ser um doce ou um imbecil, os gatos reagem da mesma maneira se não recebem atenção suficiente ou da maneira que preferem.

Portanto, a autora do estudo afirma que devemos sempre tentar nos aproximar de gatos mal-humorados, mas com amor. Ao ser legal, “você pode realmente estar ajudando-os a se tornarem mais sociáveis ​​com você”, concluiu Vitale.

  • Back to top