Estudante indiano pede ajuda para sair da Ucrânia com seu cãozinho de estimação - Pet é pop

Estudante indiano pede ajuda para sair da Ucrânia com seu cãozinho de estimação

Estudante indiano pede ajuda para sair da Ucrânia com seu cãozinho de estimação
Estudante indiano pede ajuda para sair da Ucrânia com seu cãozinho de estimação
Estudante indiano pede ajuda para sair da Ucrânia com seu cãozinho de estimação (Foto: Reprodução/Facebook)

Rishabh Kaushik, estudante da Universidade Nacional de Kharkiv, no leste da Ucrânia, está pedindo ajuda para sair do país com seu cãozinho de estimação.

Veja também:

+ 5 coisas que podem estressar demais o seu gato
+ 5 perguntas que você deve responder antes de levar um gato pra casa
+ Velozes e furiosos: conheça as 5 raças de cães mais rápidas

O estudante de engenharia do terceiro ano se recusou a deixar o país sem seu animal de estimação, alegando que nem a embaixada indiana na Ucrânia nem as autoridades de imigração na Índia o ajudaram a sair do país com seu cachorro.

Em um vídeo publicado no Facebook, ele conta que está tentando entrar em contato com a embaixada indiana desde 18 de fevereiro, e entrou em contato com o AQCS (Serviço de Quarentena e Certificação de Animais) em Delhi, e enviou os dados de seu passaporte e de seu cachorro. Ele disse que eles “ainda continuam pedindo mais documentos”.

“Ontem enviei um e-mail para eles que a guerra realmente começou, e se por acaso eu tiver a chance de ser transportado de avião, posso obter documentos então, ele (oficial de imigração) ainda pede mais alguns certificados sabendo bem que a Ucrânia está no meio da guerra”, alegou o aluno.

Segundo Kaushik, nada está funcionando na Ucrânia no momento. “As lojas de alimentos normais, as cadeias de suprimentos estão ficando sem água ou comida. Não há nada lá. As pessoas estão levando tudo para os bunkers”, disse ele.

“Tentei entrar em contato com a Embaixada da Índia aqui em Kiev também. A única coisa que eles conseguiram dizer foi que não podemos ajudar em nada e que eu deveria entrar em contato com o centro AQCS”, relatou. “Eu estaria na Índia agora se o governo indiano tivesse me dado o NOC (certificado de não objeção) de acordo com suas leis.”

Ele disse que adotou o cachorro de um resgate há dois anos. Ele também alegou que, apesar de mostrar os documentos necessários e garantir que o colocaria em quarentena na Índia, as autoridades não o apoiaram, exceto pedindo “mais documentos”.

“Ainda hoje, todos nós acordamos com os bombardeios em Kiev. Até meu cachorro está estressado com todos os bombardeios acontecendo ao redor”, disse ele, pedindo ao governo indiano que o ajudasse a levar seu cachorro também.



  • Back to top