Essas galinhas tocando xilofone é tudo de que você precisa para animar o seu dia - Pet é pop

Essas galinhas tocando xilofone é tudo de que você precisa para animar o seu dia



A inglesa Ingrid Newkirk não tem medo de confusão. Presidente e cofundadora da entidade Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais (Peta, na sigla em inglês), ela está a frente da organização de defesa dos direitos dos animais há mais de 35 anos. E comprou muita briga nesse tempo todo.

Ingrid nasceu na cidade de Surrey e viveu na Europa até os 7 anos de idade, quando ela e seus pais se mudaram para Nova Deli (índia). Ali seu pai trabalhou como engenheiro de navegação e sua mãe foi voluntária para Madre Teresa e várias instituições de caridade.

As primeiras experiências voluntárias de Ingrid – embalar comprimidos e ataduras para pessoas que sofriam de hanseníase, fazer brinquedos para órfãos e alimentar animais de rua – indicavam que qualquer pessoa necessitada, incluindo animais, é digna de preocupação.

Fotos ingridnewkirk.com

Até os 21 anos, ela não pensava nos direitos dos animais nem em vegetarianismo. Em 1970, no entanto, quando ela e o marido moravam em Maryland (EUA) e ela estava estudando para se tornar corretora, um vizinho abandonou alguns gatinhos, e Ingrid decidiu levá-los a um abrigo de animais.

Essa foi uma experiência de mudança de vida para Ingrid e levou a seu primeiro emprego trabalhando em prol dos animais. Começou limpando canis e investigando casos de crueldade.

Depois, ela foi vice-xerife em Maryland, o estado com a maior taxa de sucesso em condenar os agressores de animais. Foi também diretora de investigações de crueldade para a Humaine Society e chefe do controle de doenças animais na Comissão de Saúde Pública em Washington, DC.

Desde que foi fundada em 1980, a Peta expôs abusos contra animais em laboratórios, levando a muitas medidas contra infratores, incluindo financiamento cancelado, instalações fechadas, apreensão de animais e acusações feitas pelo Departamento de Agricultura dos EUA.

A Peta também fechou a maior operação de abate de cavalos na América do Norte, convenceu dezenas de grandes designers e centenas de empresas a parar de usar peles, encerrou todos os testes de colisão de automóveis com animais e ajudou as escolas a abandonarem a dissecação.

Além de defender animais, Ingrid mantém vários deles. É o caso das galinhas, motivação do post acima. No texto, ela diz: “Eu adotei galinhas abandonadas e machucadas, e elas são pequenos seres queridos e espertos. Por favor, as respeite. Nunca as coma”.

Veja também

+ Golden retriever obeso é abandonado, ganha nova família e perde 45 kg

+ Artista recria rostos de imperadores romanos

+App permite testar melhor design de sobrancelhas para você

+McDonald’s vende molho especial pela primeira vez no Brasil

+ Veja cinco coisas que provocam mau cheiro em cães e saiba como combatê-las

+ Edu Guedes faz desabafo sobre acidente de moto: ‘O susto foi grande’

+ Saiba mais sobre a vacina BCG, uma das mais importantes da infância

+ 4 passos fáceis para limpar o espelho com produto caseiro

+ Dançarina é condenada 3 anos de prisão por causa de vídeos no TikTok

+ Fazer o bem alivia dores físicas e mentais, aponta estudo


  • Back to top