Especialistas explicam o que seu gato pensa sobre você, carinho e felicidade - Pet é pop

Especialistas explicam o que seu gato pensa sobre você, carinho e felicidade

Especialistas explicam o que seu gato pensa sobre você, carinho e felicidade
Especialistas explicam o que seu gato pensa sobre você, carinho e felicidade
Especialistas explicam o que seu gato pensa sobre você, carinho e felicidade (Foto: Paul Hanaoka/Unsplash)

Pesquisas já revelaram que ter gatos em nossas vidas nos torna mais felizes e ainda mais saudáveis, mas será que os gatos podem dizer o mesmo sobre nós?

Veja também:

+ Vídeo viralizou: Gato cruel e enfezado empurra cão idoso escada abaixo
+ 3 maneiras fáceis de garantir a felicidade e a saúde do seu cão
+ Confira o ranking com nomes de pets que homenageiam gente do cinema e da TV

Frequentemente retratados como animais indiferentes, os gatos sofrem do estereótipo de que não estão interessados em seus donos. Essa crença se origina em grande parte do desapontamento humano de que os gatos não se comportam como outros humanos, segundo especialistas.

“Gatos não são pessoas. E eles não são cachorros. Os humanos se abraçam e se beijam. Os cães ficam muito excitados e saltam. Os gatos não fazem nada disso. Eles são muito mais elegantes. Eles se aproximam de nós. Eles batem com a cabeça. Então eles têm algum contato conosco e vão embora”, explicou Carlo Siracusa, da Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Pensilvânia, ao The Guardian.

Um estudo de 2018 feito por pesquisadores no Reino Unido descobriu que permitir que os gatos indiquem quando e onde eles querem ser um animal de estimação aumenta sua afeição pelos humanos. Desta forma, os gatos têm muito menos probabilidade de exibir sinais de desconforto ou agressão, porque têm escolha e controle das situações, descobriram os pesquisadores.

Mas os gatos são, na maioria das vezes, mais felizes quando são deixados sozinhos, principalmente porque são descendentes do gato selvagem africano, uma criatura solitária. “Os gatos não são sociais”, disse a veterinária clínica Karen Hiestand, da Universidade de Sussex, ao The Guardian. “Eles não precisam de amigos.”

Ainda assim, os gatos também podem se sentir deprimidos e experimentar ansiedade de separação quando são deixados sozinhos por muito tempo, ressaltou Karen, embora possa ser difícil de detectar porque o comportamento do gato é muito sutil.

“Não notamos quando os gatos estão infelizes porque um gato infeliz fica parado e não faz muito. Achamos que, se eles estiverem infelizes, estarão sibilando e lutando. Mas isso é uma ação de último recurso para eles. Existe um mundo de miséria antes disso. Nós simplesmente não percebemos”, disse ela.

Os gatos também podem reter memórias e até sonhar, principalmente com humanos. Mas só porque os gatos têm habilidades cognitivas semelhantes às dos humanos, não significa que os dois sejam tão semelhantes assim.

“Gatos são gatos e humanos são humanos e não podemos nos tornar gatos. Acho que a questão realmente deveria ser: podemos aprender algo com eles que seja benéfico para nós? Eu acho que podemos”, disse John Gray, autor de Feline Philosophy: Cats and the Meaning of Life, ao The Guardian.

“Ao olhar para algo tão diferente para nós, que vive ao nosso lado, podemos nos livrar dos hábitos mais prejudiciais que acompanham o ser humano. Como se preocupar com o futuro e não viver o suficiente no presente, ou estar contente com a vida que temos”, sugeriu ele.



  • Back to top