Especialistas decifram as maneiras que seu gato usa para dizer que ama você - Pet é pop

Especialistas decifram as maneiras que seu gato usa para dizer que ama você

Especialistas decifram as maneiras que seu gato usa para dizer que ama você
Especialistas decifram as maneiras que seu gato usa para dizer que ama você
Especialistas decifram as maneiras que seu gato usa para dizer que ama você (Foto: Pixabay)

Ao contrário dos cães, os gatos não demonstram amor de uma forma tão aberta. Então, como saber se o seu gato ama você? Confira o que os especialistas têm a dizer.

Veja também:

Se você tem dúvidas se o seu gato ama você, as especialistas no assunto querem te tranquilizar. O amor dos gatos nem sempre é óbvio, mesmo que presente e intenso. “O amor é um conceito muito complexo que não é fácil de quantificar, mesmo em humanos”, disse Kristyn Vitale, pesquisadora de gatos e professora assistente de saúde e comportamento animal no Unity College, ao site de Martha Stewart.

“O que sabemos é que outras espécies, além dos humanos, compartilham muitas, senão todas, as mesmas emoções que nós”, acrescentou Katherine Pankratz, veterinária certificada pela Animal Behavior Clinic.

Os gatos usam algumas dicas sutis para expressar seu amor aos donos, como esfregar o corpo e a cabeça deles em você, dormir perto de você, andar ao seu lado enquanto enrosca o rabo em você e alisa você. “Podemos inferir que eles compartilham comportamentos de afiliação, e nós podemos interpretar isso como afeto ou potencialmente sua definição de amor”, explicou Pankratz.

Além disso, os gatos podem simplesmente desenvolver um vínculo de apego por você como um sinal de amor. “Um vínculo de apego é uma relação afetiva e reconfortante entre dois indivíduos”, justificou Vitale. “Os gatos formam laços de apego com seus donos, levando a certos padrões de comportamento que se somam ao efeito de base segura. Esse efeito significa que o gato o usará como fonte de conforto e proteção.”

Por isso, a forma como seu animal de estimação expressa seu amor por você ainda depende de sua personalidade individual. “Coisas diferentes influenciaram nossas vidas. Nenhum de nós pode ser mais ou menos amoroso, podemos apenas expressar isso de maneira diferente”, concluiu Pankratz.

  • Back to top