Donos congelam pets mortos por R$ 1 milhão na esperança de que a ciência os ressuscite - Pet é pop

Donos congelam pets mortos por R$ 1 milhão na esperança de que a ciência os ressuscite

Donos congelam pets mortos por R$ 1 milhão na esperança de que a ciência os ressuscite



Donos congelam pets mortos por R$ 1 milhão na esperança de que a ciência os ressuscite
Imagem: Reprodução

Ciência ou ficção científica? Pode parecer pouco ortodoxo, mas a criogenia – técnica de conservar o corpo em uma temperatura baixíssima – está ganhando força em todo o mundo. Na esperança de que a ciência ressuscite seus animais, alguns donos estão congelando seus pets mortos por R$ 1 milhão (US$ 200 mil).

Veja também:

A fundação Alcor Life Extension, sediada em Scottsdale (Arizona), nos Estados Unidos, abriga 186 humanos e 86 animais criopreservados em suas instalações, ou seja, congelados em tanques de metal até que um dia a ciência possa, quem sabe, trazê-los de volta à vida.

“Nós não os chamamos de corpos, mas de pacientes. Para mim, é como se estivessem em um coma de longa duração”, afirma Max More, CEO da fundação Alcor Life Extension, ao canal ABC Action News. Embora a maioria dos pets seja cães e gatos, há também chinchila, tartaruga e macaco rhesus. “Se você ama um animal, por que não o trazer de volta à vida com você?”, indaga.

As fotos e informações das pessoas e pets mortos que participam do procedimento – em sua maioria homens e cientistas – foram colocadas em um mural na sede da empresa.

Veja também

+ Golden retriever obeso é abandonado, ganha nova família e perde 45 kg

+ Artista recria rostos de imperadores romanos

+App permite testar melhor design de sobrancelhas para você

+McDonald’s vende molho especial pela primeira vez no Brasil

+ Veja cinco coisas que provocam mau cheiro em cães e saiba como combatê-las

+ Edu Guedes faz desabafo sobre acidente de moto: ‘O susto foi grande’

+ Saiba mais sobre a vacina BCG, uma das mais importantes da infância

+ 4 passos fáceis para limpar o espelho com produto caseiro

+ Dançarina é condenada 3 anos de prisão por causa de vídeos no TikTok

+ Fazer o bem alivia dores físicas e mentais, aponta estudo


  • Back to top