Dono gasta mais de R$ 16 mil para tratar gato ‘engolido’ por equipamento de ginástica - Pet é pop

Dono gasta mais de R$ 16 mil para tratar gato ‘engolido’ por equipamento de ginástica

Dono gasta mais de R$ 16 mil para tratar gato ‘engolido’ por equipamento de ginástica
Dono gasta mais de R$ 16 mil para tratar gato ‘engolido’ por equipamento de ginástica
Dono gasta mais de R$ 16 mil para tratar gato ‘engolido’ por equipamento de ginástica (Foto: Pixabay)

O dono de um animal de estimação teve que gastar US$ 3 mil (cerca de R$ 16 mil) para tratar seu gato que foi sugado para baixo de sua esteira de academia.

Veja também:

Steve contou como seu gato Maine Coon de um ano de idade, Rory, foi sugado para dentro de sua esteira enquanto ele fazia exercícios, cinco meses atrás.

Ele lançou depois um aviso aos donos de animais de estimação para pararem de usar as máquinas após uma onda de 39 acidentes, incluindo a morte de um pet de três anos.

Steve presume que o acidente de Rory foi um dos incidentes citados pela Comissão de Segurança de Produtos de Consumo, que enviou o aviso cinco dias atrás, ao relatá-lo à marca da esteira quando aconteceu.

“A esteira é barulhenta e eu só percebi o que aconteceu porque parou repentinamente. Eu a levantei e ele imediatamente saiu correndo e em volta da casa todo apavorado. Eu tive que ir atrás dele e ele estava obviamente muito assustado e respirando pesadamente”, disse Steve em uma entrevista exclusiva com o site I News.

Steve, de 50 anos, que mora em Seattle, Washington, levou Rory a um hospital veterinário de emergência e o animal teve que passar a noite. O gato recebeu analgésicos, mas felizmente só havia torcido um ombro e, depois de mancar por quatro semanas, recuperou-se totalmente.

“O tratamento custava US$ 3.000, quero dizer, gatos são caros, mas você tem a obrigação, como dono de um animal de estimação, de fazer isso nessa situação”, acrescentou ele.

O engenheiro de software, que mora com sua esposa e tem quatro gatos, acha que Rory deve ter passado correndo pela esteira durante o treino e foi sugado. “Minha suposição é que ele estava correndo, escorregou e foi arrastado por baixo. Quando ele passou por baixo, o motor de elevação foi danificado e parou a banda de rodagem imediatamente”, contou Steve.

A base da máquina parou de funcionar, mas após uma ligação de 90 minutos para a Peloton, a marca da esteira, a empresa se ofereceu para substituí-la gratuitamente. Steve, que também tem uma bicicleta ergométrica da mesma marca, se culpa pelo acidente e agora bloqueou a parte traseira da esteira para que os gatos não sejam sugados.

“Acho que o governo fez a coisa certa ao publicá-lo, as pessoas precisam estar cientes de que existe o risco de morte ou de ferimentos graves. Isso poderia ser mais seguro. Acho que a Peloton provavelmente deveria modificar o dispositivo para reduzir a probabilidade de algo ser sugado por baixo dele”, pediu ele.

“Eu acho que é a coisa certa a fazer apenas do ponto de vista moral e ético. Além disso, não é culpa deles que meu gato foi sugado por baixo, é minha responsabilidade e erro de julgamento. Se eu fosse pai de uma criança pequena, definitivamente não a deixaria entrar na sala enquanto a usava”, concluiu Steve.

  • Back to top