Crendices: por que os gatos pretos são associados com Halloween e má sorte - Pet é pop

Crendices: por que os gatos pretos são associados com Halloween e má sorte

Crendices: por que os gatos pretos são associados com Halloween e má sorte
Crendices: por que os gatos pretos são associados com Halloween e má sorte
Crendices: por que os gatos pretos são associados com Halloween e má sorte (Foto: Ergita Sela/Unsplash)

Já se perguntou quando e onde começou a associação de gatos pretos e azar? Confira o que se sabe sobre a conexão entre o Halloween e os gatos pretos, incluindo o impacto duradouro dessa superstição que permanece até hoje.

Veja também:

+ Fotos: cães exibem as mais divertidas e bizarras fantasias de Halloween
+ Veterinária holística dá 6 dicas para prolongar a vida do seu pet
+ Vídeo hilário: gato teimoso entra em um duelo sem fim contra uma escada rolante

As conexões entre humanos e gatos podem ser rastreadas até algumas das primeiras civilizações do mundo, principalmente no antigo Egito, onde os gatos eram considerados símbolos divinos.

Os gatos também fizeram uma aparição na mitologia grega, especificamente Hécate, deusa da magia, feitiçaria, lua e bruxaria, foi descrita como tendo um gato como animal de estimação e familiar (uma criatura sobrenatural que auxilia uma bruxa, de acordo com o folclore europeu) .

Registros escritos ligam os gatos pretos ao ocultismo desde o século 13, quando um documento oficial da igreja chamado “Vox in Rama” foi publicado pelo Papa Gregório IX em 13 de junho de 1233. Nele, os gatos pretos foram declarados uma encarnação de Satanás, de acordo com Layla Morgan Wilde, autora de Black Cats Tell: True Tales And Inspiring Images.

“O decreto marcou o início da inquisição e da caça aos hereges e/ou às bruxas sancionada pela Igreja. Inicialmente, ele foi projetado para esmagar o crescente culto aos luciferianos na Alemanha, mas rapidamente se espalhou pela Europa”, acrescentou a autora.

Além de sua associação inicial com Satanás, os gatos também se tornaram símbolos ligados às bruxas na Europa medieval. De acordo com Cerridwen Fallingstar, sacerdotisa Wiccan e autora de Broth from the Cauldron: A Wisdom Journey through Everyday Magic, as bruxas eram as praticantes pagãs pré-cristãs da Europa.

Conforme a igreja ganhava poder, Cerridwen diz que eles passaram a ver as bruxas como sua competição direta para ganhar os corações das pessoas. Foi quando a igreja começou a caçar, perseguir, torturar e matar bruxas em grande número, explica ela.

Mas não era apenas a conexão que eles fabricaram entre bruxas, gatos e o diabo que os primeiros cristãos temiam: eles também viam os dois como ameaças. “Os gatos, como as mulheres acusadas de bruxaria, tendem a exibir um desrespeito saudável à autoridade”, observa ela. “Eles não bajulam, como cães. Na igreja, nem mulheres independentes, nem animais independentes deveriam ser tolerados.”

Eventualmente, o medo em torno dos gatos pretos e sua associação com a bruxaria fez o seu caminho através do Atlântico, cortesia de colonos puritanos, segundo Daniel Compora, professor associado de língua e literatura inglesa na Universidade de Toledo. “A ideia de que as bruxas podem se tornar seus familiares provavelmente evoluiu de aqueles acusados ​​de bruxaria tendo gatos como animais de estimação”, explica ele.

Além disso, os gatos pretos chegaram a ser culpados por espalhar a peste bubônica e as pessoas usaram isso como outra razão para se livrar deles. No entanto, o tiro saiu pela culatra.

“Em uma ironia particularmente bizarra, a morte dos gatos ajudou a alimentar a propagação da peste”, explicou Compora. “Com o número reduzido de gatos para controlar a população de roedores, a doença se espalhou rapidamente.”

Mas a ideia de que gatos pretos dão azar não é universal, de acordo com Compora. Na verdade, algumas culturas acreditam que os gatos pretos trazem boa sorte.

“Sua semelhança com a deusa-gato Bastet os levou a serem homenageados no antigo Egito”, explica ele. “Em outros países, como Escócia e Japão, eles são conhecidos por representar prosperidade. Aparentemente, se um gato preto é visto como uma criatura benevolente ou uma força sobrenatural do mal, é inteiramente baseado em qualquer tradição que ele possa abraçar.”

  • Back to top