Conheça o monge chinês que já salvou mais de 8.000 cães de rua - Pet é pop

Conheça o monge chinês que já salvou mais de 8.000 cães de rua

Conheça o monge chinês que já salvou mais de 8.000 cães de rua
Conheça o monge chinês que já salvou mais de 8.000 cães de rua
Conheça o monge chinês que já salvou mais de 8.000 cães de rua (Foto: Jessica Yang/AFP)

O monge chinês Zhi Xiang oferece uma segunda chance de vida aos cães que vivem na rua e já tem cerca de 8 mil cães para alimentar e cuidar.

Veja também:

+ Caça a leões, mordida em Napoleão: 12 coisas que você talvez não saiba sobre os pugs
+ Com 8 milhões de cegos, China possui apenas 200 cães-guias
+ Cientistas chineses conseguem gerar o segundo gato clonado do mundo

O monge budista leva os cães para seu antigo o monastério ou para o abrigo que administra na cidade de Xangai. “Tenho que resgatá-los porque se não o fizer, eles vão morrer com certeza”, disse o homem de 51 anos à AFP.

Impulsionado por sua fé, Zhi resgata animais de rua, principalmente cães, mas também gatos e outros animais, desde 1994. Tudo começou quando ele começou a tratar gatos atropelados por veículos na estrada. Naquela época, havia poucos animais nas ruas, mas isso mudou muito nos últimos quatro ou cinco anos, segundo ele.

A riqueza crescente da China causou uma explosão no mercado de animais de estimação, mas algumas pessoas simplesmente os abandonam quando não querem mais cuidar deles. “Isso não é causado por pessoas que não gostam de cães ou pelo governo, mas pelos chamados amantes de cães que não têm o conhecimento adequado sobre como cuidar dos animais”, lamentou Zhi.

A reprodução entre animais de rua está causando a explosão de seu número. A mídia estatal disse em 2019 que havia 50 milhões de animais vadios na China e esse número quase dobra a cada ano.

Com a ajuda de voluntários e sua pequena força de trabalho, Zhi mantém várias centenas de cães em seu Templo Bao’en. O templo, que ainda é um local de culto, também hospeda uma sala cheia de 200 gatos, juntamente com uma coleção desordenada de galinhas, gansos e pavões.

Zhi mantém a maioria dos cães doentes lá e o resto vai para uma instalação maior em outro lugar. Os sortudos encontrarão uma nova casa com novos proprietários. Cerca de 30% dos cães que ele resgata morrem de doenças ou já estavam doentes demais para salvar.

Zhi não é um veterinário treinado, mas seu amor pelos animais, na maneira como os acaricia, os acalma e os beija, é óbvio. Mas, com o número crescente de animais de rua, o monge, que não recebe dinheiro do governo, está enfrentando dificuldades financeiras.

Ele estima que os custos anuais sejam de cerca de 12 milhões de yuans (cerca de R$ 9 milhões) e ele precisa de 60 toneladas de ração para cães todos os meses. “O problema é que não posso mais pedir dinheiro emprestado agora”, disse ele.

Alguns dos cães resgatados por Zhi são adotados em outros países. Voluntários que falam inglês usam as redes sociais para alcançar um público internacional, e cerca de 300 cães foram colocados nos Estados Unidos, Canadá e vários países europeus, incluindo a Alemanha.

A jornada daqueles cães que viviam nas ruas e a morte quase certa para uma nova vida, traz lágrimas aos seus olhos. “Acho que eles estão muito felizes, então acho que vale a pena”, disse ele. “Mas é claro que sinto falta deles.”

“Eu tenho um sonho que um dia, quando eu tiver algum tempo livre, eu quero ir para o exterior e visitá-los, tirar fotos com todos os cães que eu resgatei”, disse Zhi. “Então, quando ficar velho e não conseguir andar, tenho essas fotos para ver.”

  • Back to top