Conheça o esforço dos cientistas para esticar a vida dos cães ao máximo - Pet é pop

Conheça o esforço dos cientistas para esticar a vida dos cães ao máximo

Conheça o esforço dos cientistas para esticar a vida dos cães ao máximo
Conheça o esforço dos cientistas para esticar a vida dos cães ao máximo
Conheça o esforço dos cientistas para esticar a vida dos cães ao máximo (Foto: Jairo Alzate/Unsplash)

Uma das coisas mais dolorosas que todos os donos sentirão um dia será o luto após perder um amado animal de estimação. Felizmente, alguns cientistas pioneiros estão tentando descobrir como fazer os cães viverem mais.

Veja também:

+ Adotou um filhote de gato? Saiba como apresenta-lo a um bichano adulto
+ Vídeo: cadela idosa e cega tem reação emocionante ao sentir o cheiro do dono
+ 6 coisas que o seu gato está tentando dizer quando ele ronrona

O Dog Aging Project (Projeto de Envelhecimento de Cães, em inglês) foi lançado em 2018 para entender mais como o envelhecimento afeta os cães. Um novo relatório do projeto, publicado na revista Nature, descreveu os objetivos dos cientistas para a próxima década, detalhando o que será o primeiro estudo de longo prazo com cães de sua magnitude.

Esses cientistas já têm 32 mil cães de todos os tipos que moram nos Estados Unidos registrados no estudo e planejam inscrever outros milhares para sequenciar seus genomas, a fim de tentar descobrir quais variáveis ​​fazem os cães viverem mais.

Um cão que está inscrito no estudo terá seu material genético analisado e participam de pesquisas anuais durante a duração do estudo, que deve ser de pelo menos dez anos. Os cientistas estão tentando decodificar os biomarcadores do envelhecimento canino e determinar quais fatores de estilo de vida desempenham um papel na longevidade.

“Dado que os cães compartilham o ambiente humano e têm um sistema de saúde sofisticado, mas têm uma vida muito mais curta do que as pessoas, eles oferecem uma oportunidade única de identificar os fatores genéticos, ambientais e de estilo de vida associados a uma vida saudável”, disse Daniel Promislow, professor de biologia da Universidade de Washington e um investigador do Instituto Nacional de Envelhecimento que está financiando o DAP, ao EurekAlert.

Ou seja, como os cães compartilham nossos estilos de vida, podemos aprender muito sobre nossas próprias vidas com as deles e, como eles não vivem tanto quanto nós, podemos estudar a totalidade de suas vidas.

Os cientistas esperam que isso os ajude a descobrir quais fatores genéticos e ambientais fazem as maiores diferenças em sua saúde e longevidade e talvez na nossa. Além disso, os dados do DAP estarão disponíveis para veterinários e cientistas de todo o mundo.

Os pesquisadores estão particularmente interessados ​​em entender quais fatores permitem que alguns cães vivam mais de 20 anos. “Acho este projeto emocionante porque acho que melhorará a saúde dos cães e, finalmente, a saúde humana”, disse Joshua Akey, professor do Instituto Lewis-Sigler de Genômica Integrativa de Princeton e membro da equipe de pesquisa do DAP, ao EurekAlert.



  • Back to top