Conheça maneiras alternativas de monitorar a saúde do seu gato - Pet é pop

Conheça maneiras alternativas de monitorar a saúde do seu gato

Conheça maneiras alternativas de monitorar a saúde do seu gato
Conheça maneiras alternativas de monitorar a saúde do seu gato
Conheça maneiras alternativas de monitorar a saúde do seu gato (Foto: Michael Sum/Unsplash)

Os gatos podem ser criaturas estranhas e misteriosas e, quando se trata de monitorar sua saúde, nossos companheiros furtivos favoritos podem tornar as coisas um pouco difíceis para nós.

Veja também:

+ Qualicorp passa a oferecer planos de saúde para pets a partir de R$ 34,90 por mês
+ Susto: depois de muito procurar, dono encontra cão desaparecido no telhado de casa
+ Pedigree lança aplicativo de fotos para pets com reconhecimento facial

Segundo especialistas, os gatos simplesmente não gostam de nos mostrar que não estão se sentindo bem. “É muito provável que seja um instinto de sobrevivência”, explicou o Dr. Corey Regnerus, Veterinário de Serviços Científicos da marca de nutrição animal premium Royal Canin.

“De uma perspectiva evolutiva, se os gatos exibissem abertamente sinais de doença ou lesão, eles se colocariam potencialmente em risco de se tornarem alvo de outra presa. Por causa disso, os sinais de que eles não estão se sentindo bem podem ser muito sutis”, acrescentou ele.

Então, como você sabe o que é apenas a singularidade normal de um gato e o que pode ser um sinal de que algo está errado? Confira algumas dicas para monitorar a saúde do seu felino:

Sinais de que você deve levar seu gato ao veterinário

Os gatos podem ser mestres do disfarce, mas existem alguns sinais sutis de potenciais problemas de saúde dos gatos a serem observados. “Podem ser pequenas mudanças na rotina ou no comportamento, como dormir mais, dormir menos, se esconder, evitar ser acariciado, tornar-se muito vocal ou até agressivo”, disse o Dr. Corey.

“Mudanças no comportamento de comer e beber também são sinais comuns – seja não limpar mais a tigela de comida após cada refeição, como costumam fazer, ou deixar de ser um pastador para se tornar faminto”, explicou ele.

Outra grande bandeira vermelha são as mudanças no comportamento da caixa de areia. Se o seu gato está usando a caixa sanitária com mais frequência, esticando ou miando e uivando ao usar a caixa de areia, ou indo ao banheiro em lugares estranhos, como a pia ou a banheira, é importante tomar nota.

A importância de monitorar a urina do seu gato

Um sinal claro de que você precisa levar seu gato ao veterinário é o sangue na urina – conhecido como hematúria. Isso pode ser um sinal de uma série de problemas de saúde felinos, variando de doença felina do trato urinário inferior, a problemas renais ou até mesmo câncer.

“O importante é saber que o sangue na urina não é normal – precisa ser investigado por um veterinário para determinar a causa subjacente”, explicou o Dr. Corey.

Algumas dessas condições podem ser sérias e até fatais, portanto, o diagnóstico e o tratamento precoces são importantes, disse ele. “Quanto mais cedo seu veterinário puder identificar um problema potencial, maiores serão as chances de ele fornecer ao seu gato os melhores cuidados e recuperação possíveis.”

Para monitoramento pró-ativo, o médico sugere testes a cada três meses para obter uma análise instantânea da saúde urinária do seu gato. Outro bom momento para fazer o teste é se você notar que seu gato está fazendo algum daqueles comportamentos estranhos mencionados acima.

Como as visitas ao veterinário costumam ser estressantes para os gatos, uma rápida triagem domiciliar pode ser um primeiro passo conveniente para ajudá-lo a decidir se uma viagem é necessária.

Não se esqueça dos check-ups veterinários regulares

Seu gato pode não gostar, mas é importante acompanhar as visitas de rotina ao veterinário, esteja você vendo ou não algum sinal de problemas de saúde. “Cerca de 50% dos gatos não vão ao veterinário com regularidade”, disse o Dr. Corey.

“Avaliações veterinárias de rotina são muito importantes para detectar precocemente quaisquer sinais de problemas de saúde e obter o melhor tratamento”, acrescentou. “Para gatos adultos, isso significa um check-up anual. E para gatos seniores – maiores de sete anos – recomendamos duas vezes por ano.”

  • Back to top