Confira os prós e os contras de oferecer uma dieta vegana ao seu pet - Pet é pop

Confira os prós e os contras de oferecer uma dieta vegana ao seu pet

Confira os prós e os contras de oferecer uma dieta vegana ao seu pet
Confira os prós e os contras de oferecer uma dieta vegana ao seu pet
Confira os prós e os contras de oferecer uma dieta vegana ao seu pet (Foto: Karsten Winegeart/Unsplash)

Quer oferecer uma dieta vegana para seu pet? Apesar do crescimento do mercado de alimentos para animais de estimação à base de plantas, os benefícios para a saúde dos pets de uma dieta sem carne ainda é motivo de debate entre especialistas.

Veja também:

+ Novo estudo mostra que uma dieta vegana pode ser saudável para o seu cão
+ Cão ajuda voluntários a encontrar mulher com demência perdida havia três dias
+ As 6 maneiras que os cães encontraram para melhorar nossa saúde mental

Será que uma dieta vegana é realmente adequada para animais de estimação? Confira os prós e contras de oferecer uma alimentação sem carne para seu pet:

1. Pró: benefícios para a saúde dos cães

Um estudo recente comprovou que os cães que se alimentam de uma dieta vegana são mais saudáveis do que os que comem dietas convencionais, desde que sejam nutricionalmente completas. A pesquisa, realizada pela Universidade de Winchester, usou sete indicadores de saúde para analisar a saúde geral de 2.500 cães.

Os pesquisadores descobriram que dos cães que comem ração normal, 17% foram levados ao veterinário pelo menos quatro vezes por ano, em comparação com 9% dos cães veganos e apenas 8% que comem uma dieta “crua”.

Eles também descobriram que quase metade dos cães alimentados com dietas à base de carne precisavam de medicação de uso contínuo, enquanto apenas um terço dos cães alimentados com dietas veganas também precisavam.

Mas alguns veterinários alertaram que o estudo pode não ser totalmente confiável, pois é baseado em donos que relataram a saúde de seus cães e foi, portanto, uma “pesquisa muito opinativa”, de acordo com o The Times.

2. Contra: falta de estudos de longo prazo

A British Veterinary Association (BVA) alertou que, embora os cães possam, teoricamente, ser alimentados com uma dieta vegana que atenda totalmente às suas necessidades nutricionais, não existem evidências suficientes para sugerir que essa abordagem seja completamente segura, pois “é muito mais fácil obter o equilíbrio de nutrientes essenciais errado do que acertar”.

3. Pró: impacto no meio ambiente

O impacto ambiental de manter um animal de estimação é significativo. De acordo com um estudo publicado na revista PLOS One, a produção dos alimentos para animais de estimação é responsável por 25% a 30% do impacto ambiental da produção de carne em termos de uso de terra, água e combustível fóssil.

Só nos EUA, o consumo de carne de cães e gatos é responsável pela liberação de até 64 milhões de toneladas de metano e óxido nitroso, dois poderosos gases de efeito estufa que contribuem para as mudanças climáticas.

4. Contra: não é adequado para todos os animais de estimação

Enquanto os cães são onívoros e, portanto, podem ser colocados em uma dieta vegana cuidadosamente pensada, os gatos são “carnívoros obrigatórios”, o que significa que é muito mais difícil garantir que eles recebam uma dieta nutricionalmente adequada sem alimentá-los com carne.

Isso porque muitos dos nutrientes essenciais de que necessitam para se manterem saudáveis, como a taurina, a vitamina A e a cisteína, são mínimos ou até ausentes nos ingredientes vegetais, de acordo com o BVA.

A falta de taurina, em particular, pode representar um risco particular para os gatos e pode levá-los a desenvolver uma condição potencialmente fatal chamada cardiomiopatia dilatada, de acordo com a Sociedade Americana de Prevenção da Crueldade contra Animais (ASPCA).

Isso acontece quando os músculos do coração de um gato se tornam “muito finos e fracos, impedindo-os de bombear sangue e fornecer oxigênio ao corpo normalmente”, disse a ASPCA.

5. Pró: reduz as alergias do cão

Uma dieta vegana pode ser uma boa opção para cães que tenham alergia ou intolerância a proteínas animais. Pode ajudar cães que sofrem de “doença renal, cálculos de urato na bexiga e doença inflamatória intestinal”, segundo Joe Bartges, nutricionista veterinário da Universidade da Geórgia em Atenas, que conversou com o site PetMD.



  • Back to top