Confira 3 cuidados para passear com cães em dias quentes - Pet é pop

Confira 3 cuidados para passear com cães em dias quentes

Confira 3 cuidados para passear com cães em dias quentes
Confira 3 cuidados para passear com cães em dias quentes
Imagem de Concha Mayo por Unsplash

Passear é muito importante para os pets. Mas, em dias quentes, os donos devem ter um cuidado especial com as patas e hidratação dos cães.

Veja também:

Dias mais quentes são difíceis não só para os seres humanos, mas também os animais de estimação, em especial cachorros, que buscam amenizar o calor por meio da respiração, se escondem em áreas cobertas e buscam locais mais gelados.

Os pets devem receber um cuidado especial durante as altas temperaturas, alerta a veterinária Thaís Matos, da DogHero , maior empresa de serviços para pets da América Latina. Segundo a especialista, os tutores devem manter a rotina do animalzinho o máximo possível, mas os passeios, por exemplo, precisam ter um cuidado especial neste período. Confira, abaixo, as dicas de passeios em dias quentes:

Horários alternativos e cuidado com queimaduras

Mesmo em épocas mais quentes, é importante que o tutor mantenha a rotina de passeio dos pets. No entanto, o horário de passear com os pets deve ser sempre pela manhã, no fim da tarde ou à noite, quando a temperatura está mais amena e o asfalto fica mais fresco.

É comum encontrar tutores passeando com os animaizinhos às 13h, por exemplo, o que pode gerar queimaduras nas patinhas, além de gerar desidratação com risco ao óbito. “Tenha preferência por horários onde a temperatura esteja mais amena, como antes das 10h e após 17h. Sempre tomar cuidado com queimaduras nas patas, testando a temperatura do chão antes de sair com o pet, para isso você pode colocar sua mão ou seu pé em contato com o chão e se aguentar por mais de 10 segundos é provável que o pet também aguente. Passear em locais gramados também é uma boa opção, por serem mais frescos que o asfalto e calçadas”, comenta a especialista da DogHero.

Hidratação e proteção ok

Ao sair de casa para passear com o animalzinho, o tutor deve levar uma garrafinha com água fresca e sempre oferecê-la ao pet para evitar que o calor deixe ele desidratado. “Mesmo que o cãozinho não demonstre que esteja com sede, o pai de pet deve sempre oferecer o líquido para mantê-lo hidratado e também evitar que faça a ingestão de outros líquidos na rua”, comenta a veterinária Thaís Matos.

Outro cuidado que tem ganhado espaço entre os pais de pets, é o uso de protetor solar, principalmente, nos focinhos e extremidades das orelhas: “O protetor solar canino ajuda a evitar dermatites caninas causadas por raios ultravioletas e é um produto indispensável para raças com peles e pigmentação mais sensíveis como Dálmata, Staffordshire Terrier Americano, Boxer branco, Bull Terrier branco e Whippet”, finaliza a veterinária.

Vacinação do pet em dia

O passeio em locais e vias públicas deixa o pet vulnerável para contrair inúmeras doenças infecciosas. Somente o ato de cheirar uma superfície contaminada ou as fezes de um pet infectado, o cãozinho já pode ficar doente, por isso o tutor deve seguir com o calendário anual de vacinação.

Os cães devem ser vacinados obrigatoriamente com a antirrábica (contra a raiva) e a v8 ou v10. Já as vacinas contra giárdia, tosse dos canis e leishmaniose são opcionais, mas necessárias para a saúde do cachorro e devem ser aplicadas somente após a avaliação de um médico veterinário que irá avaliar a real necessidade do seu animal tomá-las a.

No caso dos gatos, os tutores devem vaciná-los com a v3, v4 ou v5. “As vacinas contribuem para evitar doenças que possam ser fatais para o pets, como a parvovirose e a cinomose e ou que sejam zoonoses, ou seja, aquelas que podem ser transmitidas para os humanos , como por exemplo a raiva.

O cuidado com os animais em épocas virais deve ser redobrado para todos os pets, mas se o animal for filhote ou idoso, o tutor deve dar uma atenção maior”, lembra a veterinária da DogHero.

  • Back to top