Com gata ‘falante’, cientistas aprendem um pouco mais sobre como pensam os felinos - Pet é pop

Com gata ‘falante’, cientistas aprendem um pouco mais sobre como pensam os felinos

Com gata ‘falante’, cientistas aprendem um pouco mais sobre como pensam os felinos
Com gata ‘falante’, cientistas aprendem um pouco mais sobre como pensam os felinos
Com gata ‘falante’, cientistas aprendem um pouco mais sobre como pensam os felinos (Foto: Reprodução/Instagram)

Billi, uma gata de 13 anos da Flórida, consegue se comunicar com sua dona, Kendra Baker, através de botões que “falam” o que ela está querendo dizer.

Veja também:

+ Estrelas do TikTok, cães e gatos ‘falantes’ inspiram estudo sério sobre comportamento animal
+ Shopping de SP é ‘decorado’ com gatos para adoção; venha buscar o seu!
+ Embriagada, mulher dorme com porquinho-da-índia e acorda com o cabelo cortado

Os animais “falantes” estão dominando a internet e se tornando tão famosos quanto Bunny, uma cachorrinha que se tornou famosa no TikTok por conta de suas conversas interessantes com seus donos.

Assim como Bunny, a gata Billi usa um dispositivo de comunicação aumentativa e alternativa (AAC), essencialmente, uma placa de som composta de botões com uma palavra diferente gravada vocalmente em cada um para “falar” com sua dona.

Baker, assim como os donos de Bunny, foi inspirada a tentar este meio de comunicação humano-animal depois de observar Christina Hunger, uma patologista da fala e linguagem, que ensinou sua cachorra Stella a usar um dispositivo AAC.

Geralmente os dispositivos de fala são usados para cientistas estudarem a maneira como cães se comunicam, mas isso não impediu Baker de ensinar a gata Billi a “falar” também. No início da pandemia, quando ela se viu com tempo extra disponível, ela decidiu encomendar um dispositivo AAC para ver se Billi também conseguia “falar”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Billi (@billispeaks)

“Naquela época, Billi foi o primeiro gato que conheci a experimentá-lo”, disse Baker ao site Salon. “Eu não tinha visto nenhum gato fazer isso.” Considerando o status de felino de Billi, ela ficou naturalmente um pouco cética no início.

“Fiquei preocupada porque eles [os botões] eram muito grandes para um gatinho minúsculo e não tinha certeza se ela seria realmente pesada o suficiente para pressioná-los”, contou. “Então comecei com uma palavra que realmente não recomendo que você comece, que é ‘comida’, porque se torna muito motivador para eles. E Billi adora comida.”

As preocupações de Baker desapareceram rapidamente quando ficou claro que Billi era capaz de apertar o botão “comida”.  “Depois me arrependi de começar com comida porque meio que saiu pela culatra para mim, mas definitivamente fez a bola rolar”, brincou Baker.

Hoje, Billi tem 50 palavras em seu quadro e, assim como Bunny, faz parte do projeto de pesquisa em andamento chamado TheyCanTalk, cujo objetivo é entender se os animais podem se comunicar com os humanos através de dispositivos AAC.

Embora o estudo seja composto principalmente de cães, cerca de 5 por cento dos animais que usam dispositivos AAC agora são felinos depois que muitos gatos tiveram sucesso ao usar o dispositivo.



  • Back to top