Cientistas revelam o que acontece no cérebro do seu cão quando você fala com ele - Pet é pop

Cientistas revelam o que acontece no cérebro do seu cão quando você fala com ele

Cientistas revelam o que acontece no cérebro do seu cão quando você fala com ele
Cientistas revelam o que acontece no cérebro do seu cão quando você fala com ele (Foto: Adam Griffith/Unsplash)

De acordo com um novo estudo, o cérebro dos cães processam vocalizações humanas e caninas de maneira diferente, sugerindo que eles evoluíram para reconhecer nossas vozes.

Veja também:

+ Como deixar o cérebro do seu cão em boa forma
+ Vídeo emocionante mostra reencontro de dono e cão separados pela guerra em Kiev
+ Vídeo hilário: gatos enlouquecem ao ouvir a palavra ‘jantar’ e viralizam

Anna Bálint, neurocientista canina da Universidade Eötvös Loránd, recorreu a um eletroencefalograma, que pode medir ondas cerebrais individuais. Ela e seus colegas recrutaram 17 cães da família, incluindo vários border collies, golden retrievers e um pastor alemão, que foram ensinados a ficar parados por vários minutos de cada vez.

Os cientistas colocaram eletrodos na cabeça de cada cão para registrar sua resposta cerebral, o que  não é uma tarefa fácil. Ao contrário das cabeças ósseas dos humanos, as cabeças dos cães têm muitos músculos que podem obstruir uma leitura clara, disse Bálint.

Os pesquisadores então reproduziram clipes de áudio de vocalizações humanas e caninas. Os sons humanos incluíam apenas vocalizações não linguísticas, como balbucios de bebês, risadas e tosse, enquanto os sons de cães incluíam fungar, ofegar e latir.

Cada som foi classificado como transmitindo uma emoção “positiva” ou “neutra”, com base no contexto em que foram feitos, como o ganido animado de um cachorro brincando com uma bola. Os pesquisadores não incluíram nenhum som “negativo” para não assustar os filhotes.

Para cada um dos ruídos, os cães experimentaram uma mudança nas ondas cerebrais nos primeiros 250 a 650 milissegundos. Nos cérebros humanos, as diferenças de sinal nesse período de tempo estão associadas à motivação e à tomada de decisões. Os pesquisadores concluíram que os filhotes estão tentando descobrir quem ou o que está fazendo o som, e como responder aos estímulos.

O cérebro dos cães não produziu nenhum sinal significativo nos primeiros 250 milissegundos, o período de tempo em que os humanos tendem a processar qualidades sonoras como tom ou tom. Isso sugere que os cães não estavam simplesmente percebendo que as vozes soavam diferentes.

Além disso, quando as ondas cerebrais dos cães atingiram o pico na faixa de 250 a 650 segundos, elas dispararam de maneira diferente dependendo de quem estavam ouvindo. As ondas foram mais eletricamente positivas em resposta às vocalizações humanas e mais eletricamente negativas em resposta aos sons caninos.



  • Back to top