Chega ao Brasil novo medicamento para combater a dermatite atópica em cães - Pet é pop

  • Chega ao Brasil novo medicamento para combater a dermatite atópica em cães

    Veterinário cachorro cão - Foto Pixabay
    -->



    Tecnologia já bastante utilizada na medicina humana em tratamento para doenças crônicas – como as alérgicas, das articulações e de vários tipos de câncer –, os anticorpos monoclonais são agora também importantes ferramentas no tratamento para dermatite atópica em cães.

    “Por ser uma terapia extremamente específica, diferentemente do que ocorre em intervenções convencionais, os anticorpos monoclonais são considerados hoje o que há de mais moderno na medicina”, explica o médico veterinário Alexandre Merlo, gerente técnico de Animais de Companhia da Zoetis.

    De acordo com pesquisa realizada pela Zoetis Saúde Animal em 2016 com 400 veterinários em todo o Brasil, 63% responderam que atendimentos relacionados à dermatologia correspondiam de 31% a 50% dos casos atendidos na clínica.

    Mais de 52% dos participantes também disseram que animais atendidos com queixa de prurido (coceira ou comichão) representavam de 31% a 50% dos cães assistidos. E, entre profissionais dermatologistas, 62% responderam que a reclamação está presente em 51% a 80% dos casos.

    “Esses dados mostram quão significativos são os problemas dermatológicos em cães e o quanto isso pode afetar a qualidade de vida do animal e também de seu tutor”, diz a médica veterinária Marcela Tocchet, gerente de produtos de Animais de Companhia da Zoetis.

    Injetável e administrado somente por médicos-veterinários, o medicamento Cytopoint demonstra diminuição significativa de prurido já no primeiro dia e com efetividade de ação por 4 a 8 semanas.

    Casos

    Disponível no mercado norte-americano desde 2016, o medicamento mostrou sucesso em cães com dermatite atópica. De acordo com tutores nos Estados Unidos que já utilizaram o produto, Cytopoint mudou a vida dos cães que sofriam com a doença.

    Sherry Ann, tutora do cão Dublin, tentou de tudo para ajudá-lo a curar e a aliviar os efeitos de sua pele irritada e vermelha. “Parecia não haver solução até que o veterinário nos recomendou Cytopoint, que foi a solução para essas alergias horríveis”, disse.

    Meaghan Rieser, tutora de Harley, conta que, por causa da dermatite atópica, ele desenvolveu alergias e coceira crônica. “Ele se coçava, se lambia e se mordia o tempo todo”, disse. “O medicamento deu, a nós e a ele, alívio imediato, eficaz e duradouro.

    A Zoetis percorreu quatro capitais brasileiras (Curitiba, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo) para apresentar a tecnologia a médicos veterinários e a parceiros. Reunindo especialistas da medicina humana e veterinária, a empresa apontou os usos e benefícios do anticorpo monoclonal, com apresentação de casos.

    Explicando do que se trata e de que forma os anticorpos monoclonais vêm sendo utilizados na medicina humana desde a década de 1970, a médica oncologista Giselle Almeida comentou casos de uso da tecnologia em seus pacientes. “Isso veio para ficar, e a tendência é de que sejam cada vez mais utilizados nos tratamentos”, diz.

    A dermatologista veterinária Sandra Koch, da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, falou de sua experiência com Cytopoint. Além de fazer parte da equipe de estudos do medicamento, Sandra utiliza o produto em seus pacientes desde 2016.

    “O tratamento para dermatite atópica é complexo. E não há pílula mágica. Cada caso é diferente e isto é um desafio para nós”, diz Sandra. “Mas, agora temos a opção de um tratamento imunoterápico biológico, que até o momento se mostra seguro e eficaz”, completou.

  • Back to top