Com ajuda de cães de trenó, humanos conquistam o mundo na Era do Gelo - Pet é pop

Com ajuda de cães de trenó, humanos conquistam o mundo na Era do Gelo

Huskies, cães de trenó



Huskies, cães de trenó
Imagem de Viola por Pixabay

Os cães de trenó foram fundamentais para que os homens pudessem conquistar o mundo na Era do Gelo. Uma pesquisa publicada na revista Science, nesta quinta-feira, concluiu que os cães ancestrais – adaptados ao frio congelante – ajudaram os primeiros seres humanos a sobreviverem no Ártico há mais de 10.000 anos.

Veja também:

“Ser capaz de mover grandes quantidades de materiais e alimentos por grandes espaços em terrenos tão difíceis teria sido uma grande vantagem”, disse Shyam Gopalakrishnan, geneticista populacional da Universidade de Copenhague e principal autor do estudo, juntamente com geneticista Mikkel Sinding. “Pode ter sido fundamental para os seres humanos se estabelecerem o Ártico.”

Para chegar a essa conclusão, o estudo comparou a genética de raças modernas de 134 cães de trenó – incluindo os huskies do Alasca e da Sibéria usados ​​para corridas de trenós, bem como malamutes do Alasca e 10 cães da Groenlândia – ao DNA de um cão que viveu há 9.500 anos na ilha Zhokhov, acima o Círculo Polar Ártico, na Sibéria Oriental, onde foram encontradas evidências arqueológicas dos primeiros trenós para cães.

Os pesquisadores determinaram que as raças modernas de cães de trenó e os cães ancestrais compartilham muitos dos mesmos genes, formando uma linhagem distinta. Isso revela a antiguidade dos cães de trenó e sugere a importância dos animais para a sobrevivência humana à medida que os homens se espalharam pelo Ártico, perto do fim do última Era do Gelo.

O cão siberiano ancestral mostrou várias adaptações que o teriam ajudado a sobreviver em condições muito frias, como pelos mais compridos e espessas almofadas nos pés, o que pode tê-lo ajudado a correr ainda mais na neve e no gelo. As raças modernas de cães de trenó mantiveram essas adaptações, segundo o autor do estudo.

Domesticação de cães

A pesquisa também sustenta a ideia de que a domesticação de cães ocorreu cerca de 35.000 anos atrás (muito antes do que se imaginava). “Os cães já tinham populações diferentes 10.000 anos atrás”, disse Gopalakrishnan. “Portanto, a ideia original de 10.000 a 15.000 anos para domesticação simplesmente não se sustenta.”

Robert Losey, arqueólogo da Universidade de Alberta em Edmonton, estudou os trenós puxados por cães ancestrais na Rússia e na América do Norte. Para o especialista, os trenós puxados por cães modernos, onde até 20 animais conduzem várias pessoas, são diferentes dos modelos antigos.

“Meu palpite é que havia apenas um ou dois cães talvez puxando um trenó ou puxando um trenó em conjunto com as pessoas. E eles provavelmente carregavam mochilas nas costas”, disse. As revelações da pesquisa devem servir de impulso para a proteção desses animais, que estão ameaçados de extinção.

Veja também:

Veja também

+ Golden retriever obeso é abandonado, ganha nova família e perde 45 kg

+ Artista recria rostos de imperadores romanos

+App permite testar melhor design de sobrancelhas para você

+McDonald’s vende molho especial pela primeira vez no Brasil

+ Veja cinco coisas que provocam mau cheiro em cães e saiba como combatê-las

+ Edu Guedes faz desabafo sobre acidente de moto: ‘O susto foi grande’

+ Saiba mais sobre a vacina BCG, uma das mais importantes da infância

+ 4 passos fáceis para limpar o espelho com produto caseiro

+ Dançarina é condenada 3 anos de prisão por causa de vídeos no TikTok

+ Fazer o bem alivia dores físicas e mentais, aponta estudo


  • Back to top