Cães da raça golden retriever fazem delivery de cerveja durante a pandemia - Pet é pop

Cães da raça golden retriever fazem delivery de cerveja durante a pandemia

Cães da raça golden retriever fazem delivery de cerveja durante a pandemia
Cães da raça golden retriever fazem delivery de cerveja durante a pandemia
Cães da raça golden retriever fazem delivery de cerveja durante a pandemia (Foto: Karen e Mark Heuwetter)

Já pensou em treinar seus cachorros para buscar cerveja? Foi com isso em mente que um casal de Nova York criou uma empresa em que seus cães da raça golden retriever fazem delivery de cerveja.

Veja também:

Os golden retrievers Buddy, de 3 anos, e Barley, de 1, estão levando cervejas e sorrisos para as pessoas em meio à pandemia de Covid-19.

Mark e Karen Heuwetter, co-fundadores da Six Harbours Brewing Company em Huntington, uma cidade costeira em Long Island, Nova York, foram inspirados a trazer os cães nas entregas de cerveja para animar os clientes.

“As pessoas começaram a ver os cachorros nas entregas, e então tivemos a ideia de pedir que ajudassem a trazer a cerveja para elas”, disse Mark Heuwetter, à CNBC Make It.

Quando a pandemia de Covid-19 atingiu em março, a cervejaria foi considerada um “negócio essencial”, então pôde permanecer aberta para entregas e retirada na calçada, o que os proprietários nunca haviam feito antes.

“Realmente não era um grande fator em nosso modelo de negócios, então tivemos que nos desenvolver novamente”, diz Heuwetter.

Como muitos filhotes, os cães adoram passear de carro e colocar a cabeça para fora da janela. Portanto, em vez de deixá-los na cervejaria enquanto fazia as entregas, Heuwetter decidiu levá-los junto.

Os Heuwetters criaram “pequenos detalhes” que podiam ficar pendurados no pescoço dos cães como uma coleira e carregar quatro latas de cerveja, usando vasilhames, porque, segundo eles, “somos pessoas que amam cachorros e não queremos que eles se machuquem ou sacudam a cerveja”, diz Heuwetter.

Como cães São Bernardo com um barril de uísque em volta do pescoço, os goldens rapidamente se tornaram mascotes. Nas entregas, os humanos usando máscaras e luvas carregam a cerveja até o ponto de entrega e, em seguida, deixam os cachorros cumprimentarem os clientes e tirarem algumas fotos usando seus acessórios de cerveja.

A cervejaria normalmente servia mais de 600 litros por dia no fim de semana, mas agora os cães e os Heuwetters fazem cerca de quatro a 12 entregas por dia. E embora abril e maio sejam normalmente os maiores meses de negócios para a cervejaria, as vendas caíram 70% a 80% em relação a abril de 2019 devido à pandemia, diz Heuwetter.

A equipe da cervejaria, composta por 11 funcionários de meio período, também foi dispensada. Heuwetter diz que se inscreveu para um empréstimo do Programa de Proteção ao Salário. No momento, não está claro quando a cervejaria poderá reabrir oficialmente para negócios. Portanto, os cães, que têm mais de 500 seguidores no Instagram, têm sido um ponto alto.

“Os clientes se divertem, porque durante esse período de distanciamento social, as pessoas procuram algum tipo de socialização”, diz Heuwetter.

Para aqueles que estão se perguntando sobre segurança, embora tenha havido casos raros de cães em Hong Kong infectados com a Covid-19, os Centros de Controle de Doenças afirmam que não há evidências de que os animais desempenhem um papel significativo na disseminação do vírus que causa o Covid-19.

E embora os cães possam obter outros tipos de coronavírus, não se acredita que o Covid-19 seja uma ameaça aos cães. No entanto, o CDC desaconselha permitir que seus animais de estimação interajam com pessoas ou outros animais fora da casa.

Mesmo depois da pandemia, os cães não vão a lugar nenhum. A cervejaria aceita cachorros, portanto, em circunstâncias normais, os clientes gostam de trazer seus próprios cachorros para tomar uma cerveja e se socializar.

Na verdade, o cachorro mais velho Buddy tem sido “um marco do estabelecimento”, desde que foi inaugurado em maio de 2018, diz Heuwetter. Enquanto as pessoas paravam na entrada da cervejaria, Buddy corria para cumprimentar os clientes e acompanhá-los. “Nunca o ensinamos a fazer isso, ele simplesmente aprendeu”, diz Heuwetter.

“Ele era como o prefeito. Ele ia lá fora em cada mesa, cumprimentava as pessoas e era mimado, porque francamente ele é um cachorro, ele quer receber carinho”, finalizou.

  • Back to top