Arqueologistas encontram cão enterrado com o dono há 8.400 anos - Pet é pop

Arqueologistas encontram cão enterrado com o dono há 8.400 anos

Arqueologistas encontram cão enterrado com o dono há 8.400 anos
Arqueologistas encontram cão enterrado com o dono há 8.400 anos
Arqueologistas encontram cão enterrado com o dono há 8.400 anos (Foto: EPA/Johan Nilsson/TT)

Um cão da Idade da Pedra foi encontrado enterrado com seu dono em uma escavação na Suécia, com fotos nítidas que agora mostram os ossos caninos antigos, segundo relatórios.

Veja também:

DNA de cães pré-históricos revela a longa amizade com humanos
Estudo mostra que gatos são amigos dos humanos há mais tempo do que se acreditava
Estudo: No final da última Era do Gelo, havia 5 tipos de cães

O cão, que se acredita ter sido enterrado há mais de 8.400 anos, foi descoberto por arqueólogos em Sölvesborg, cerca de 350 milhas ao sul de Estocolmo, no final de setembro, de acordo com o Daily Mail.

Um osteologista animal que completou um exame preliminar dos ossos disse que a raça do cão há muito desapareceu, mas poderia ser comparada a um Galgo espanhol.

O cão fiel foi enterrado com seu dono como parte de seus “bens do túmulo” – uma tradição antiga onde os mortos eram enterrados com objetos valiosos.

A descoberta foi parte de uma grande escavação que está em andamento desde 2015 – uma das maiores já concluídas na região – e exigiu meses de raspagem e escovação no Museu Blekinge para revelar a estrutura óssea do cão.

“O cão está bem preservado e o fato de estar enterrado no meio do povoado da Idade da Pedra é único”, disse Ola Magnell, osteologista do museu, após a descoberta inicial.

“Os artefatos foram tão bem preservados porque, muitos séculos atrás, um aumento repentino e violento do nível do mar fez com que o local antes costeiro fosse coberto com areia e lama, o que manteve os restos intactos”, disse Carl Persson, gerente de projeto do museu .

As descobertas fazem as pessoas modernas “se sentirem ainda mais próximas das pessoas que viveram aqui”, disse Persson em um comunicado. “Um cachorro enterrado de alguma forma mostra como somos semelhantes ao longo dos milênios quando se trata de sentimentos como tristeza e perda.”

  • Back to top