Animais de rua ajudam na reeducação de detentos em SP - Pet é pop

Animais de rua ajudam na reeducação de detentos em SP

Canil tem capacidade para abrigar 200 cães na P1 de Tremembé - Divulgação/SAP



Canil tem capacidade para abrigar 200 cães na P1 de Tremembé - Divulgação/SAP
Canil tem capacidade para abrigar 200 cães na P1 de Tremembé – Divulgação/SAP

Em nova iniciativa do governo do Estado de São Paulo em duas unidades prisionais do Vale do Paraíba, reeducandos do regime semiaberto estão trabalhando em um canil e um gatil construídos no perímetro prisional, longe do espaço da carceragem, para abrigar animais domésticos da região em situação de rua.

Um canil com capacidade para abrigar 200 cães foi construído na Penitenciária Dr. Tarcizo Leonce Pinheiro Cintra, a P1 de Tremembé. Já o Centro de Detenção Provisória Dr. Félix Nobre de Campos, o CDP de Taubaté, dispõe agora de um gatil com capacidade para comportar até 50 animais. Ambos contam com espaços coletivos e individuais, áreas para vacinação, para banho e tosa, além de depósito de materiais.

A ação tem ganho duplo: oferece apoio ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) taubateano e, ao mesmo tempo, proporciona a ressocialização dos internos por meio do contato e cuidado com os animais.

O projeto é uma parceria entre a Secretaria da Administração Penitenciária, a 1ª Vara de Execuções Criminais (VEC) da Comarca de Taubaté, o Conselho da Comunidade de Taubaté e a Prefeitura Municipal de Taubaté.

Segundo o prefeito de Taubaté, José Bernardo Ortiz Junior, já é possível perceber os reflexos positivos da parceria. “O projeto ajuda a desafogar a demanda do CCZ”, explica Ortiz. “Já retiramos cães e gatos que eram abrigados pelo órgão e outros animais ainda serão enviados até o final deste ano”, diz.

Os detentos passam por curso de banho e tosa e aprendem técnicas para os cuidados dos bichos, que serão vacinados, vermifugados, castrados e estarão disponíveis para adoção em feiras organizadas com entidades parceiras.

Gatil construído no CDP de Taubaté tem capacidade para receber até 50 animais - Divulgação/SAP
Gatil construído no CDP de Taubaté tem capacidade para receber até 50 animais – Divulgação/SAP

Os reeducandos da P1 de Tremembé participaram de uma palestra sobre comunicação e comportamento dos animais com uma profissional de medicina veterinária na segunda-feira, dia 23 de setembro.

O encontro faz parte de uma série de atividades para preparar os presos que atuam no canil da unidade, que, desde agosto, tornou-se o lar provisório de cerca de 30 cães.

Ressocialização

As atividades contemplam 12 reeducandos no manejo dos animais nos dois presídios envolvidos com o projeto. Os sinais de melhora na saúde emocional são percebidos tantos nos cães e gatos como nos presos.

O diretor do CDP de Taubaté, Claudio José do Nascimento Brás, acredita que existe uma troca positiva muito grande entre os reeducandos e os animais.

“Alguns dos felinos abrigados no gatil já estavam nos arredores do presídio, mas eram agressivos, arredios e não interagiam com as pessoas. Agora, sob os cuidados dos detentos, já estão mais dóceis, menos agitados e aceitando a presença humana com mais naturalidade”, avalia o diretor.

Ele também destaca uma mudança visível no comportamento dos internos. “Até mesmo os presos que trabalham em outras frentes na unidade demonstram afeto pelos animais”, afirma.

Veja também

+ Golden retriever obeso é abandonado, ganha nova família e perde 45 kg

+ Artista recria rostos de imperadores romanos

+App permite testar melhor design de sobrancelhas para você

+McDonald’s vende molho especial pela primeira vez no Brasil

+ Veja cinco coisas que provocam mau cheiro em cães e saiba como combatê-las

+ Edu Guedes faz desabafo sobre acidente de moto: ‘O susto foi grande’

+ Saiba mais sobre a vacina BCG, uma das mais importantes da infância

+ 4 passos fáceis para limpar o espelho com produto caseiro

+ Dançarina é condenada 3 anos de prisão por causa de vídeos no TikTok

+ Fazer o bem alivia dores físicas e mentais, aponta estudo


  • Back to top