9 perguntas que você deve fazer antes de decidir levar um furão para casa - Pet é pop

  • 9 perguntas que você deve fazer antes de decidir levar um furão para casa

    -->



    Os furões (também chamados de ferrets) podem ser o pet perfeito para quem procura uma companhia divertida, brincalhona e energética. Tudo o que eles exigem é comida, água, cuidados (inclusive veterinários) e algum espaço para correr. Com isso, eles podem chegar a viver até dez anos. Ou seja, é um relacionamento de longo prazo.

    Assim, antes de decidir ter um, confira nove perguntas básicas para interessados em conviver com esse bichinho. As repostas foram elaboradas pela doutora Laurie Hess, uma das maiores especialistas em aves e pets exóticos dos EUA.

     

    1. Eu sou paciente e compreensivo?

    Os furões cavam, esburacam e mastigam tudo, especialmente quando são jovens. Com frequência, surrupiam itens e os escondem em closets, sob camas ou em qualquer outro lugar secreto que consigam encontrar. Se não estiver coberto, qualquer objeto pode terminar na boca do animal, ainda mais se for feito de borracha ou espuma.

    Quando engolidos, os itens podem obstruir o sistema gastrointestinal do bichinho, forçando uma corrida ao veterinário. Fios elétricos também são uma potencial ameaça. Se você estiver pensando em ter um furão, prepare-se para monitorá-lo todas as vezes em que ele estiver fora da gaiola.

    Sua casa precisa ter uma área em que o animal possa correr e brincar em segurança e sem causar estragos nos seus pertences. Mantenha essa área livre de sapatos, meias, chinelos e outros itens que despertam o interesse do bichinho.

     

    2. Tenho disposição para brincar com o pet?

    Embora adorem tirar várias sonecas, os furões aproveitam o tempo entre elas para correr, rolar e derrapar pelo chão. Quando jovens, adoram caçar brinquedos, mordiscar dedos e ficar sob os pés humanos.

    Se passam tempo demais dentro de suas gaiolas, tendem a comer em excesso e ficar obesos. Ao ter um em casa, certifique-se de estar disposto a brincar com ele.

    3. A hipótese de ter mais de um é interessante?

    Geralmente, os furões são criaturas sociáveis que procuram a companhia de sua família humana ou de outros colegas de espécie. Por essa razão, alguns donos optam por ter mais de um desses animais.

    Como todos os outros pets, nem todos os furões curtem a companhia de outro furão. Caso decida ter mais de um, você deve acompanhá-los de perto por vários dias e ir aumentando o tempo em que eles passam sozinhos gradativamente.

    Certifique-se de que cada animal tenha o mesmo acesso a comida, brinquedos e locais para se esconder ou dormir. Assim, pelo menos, esses recursos não serão motivo para que iniciem uma briga.

    Pixabay

    4. Vou ter tempo e dinheiro para tantas vacinas?

    Os furões devem ser vacinados contra a raiva. Também estão sujeitos a contrair cinomose, que pode ser fatal. Assim, devem ser protegidos contra o vírus causador da doença.

    Como filhotes caninos, os furões devem receber uma série de três vacinas contra a cinomose, com distância de três semanas entre cada aplicação a partir do segundo mês de idade. A primeira vacina contra a raiva deve ser ministrada aos quatro meses.

    Depois disso, devem receber uma vacina anual contra cinomose e raiva pela vida toda, mesmo que não saiam de casa. Isso porque o vírus da cinomose pode entrar na residência abrigado em sapatos e roupas.

     

    5. Não vou me apavorar se aparecer um câncer ou problemas cardíacos?

    Como muitos criadores gerem muitos indivíduos a partir de uma mesma família, os furões acabam desenvolvendo uma facilidade para contrair certos tipos de doenças. Entre elas estão tumores na glândula adrenal e insulinoma (espécie de tumor pancreático). Esses males podem ocorrer em animais com menos de um ano de idade.

    Furões mais velhos podem desenvolver doenças no coração. Assim, donos desses animais têm de estar prontos para lidar com problemas cardíacos e câncer em algum momento da vida do animal.

     

    6. Tenho problemas com odores?

    Os furões nascem com glândulas odoríferas na base de suas caudas. Alguns criadores removem essa glândula quando os animais são bem jovens, antes de colocá-los à venda. Quando o órgão não é retirado, o bichinho emite um cheiro almiscarado que pode incomodar pessoas com narizes mais sensíveis.

     

    7. Consigo ração específica para o animal?

    No mundo selvagem, os furões caçam e se alimentam de roedores e coelhos. Eles são exclusivamente carnívoros e têm dificuldades em digerir plantas. Alguns vendedores ignoram esse fato e recomendam que sejam dados frutas e vegetais aos bichinhos.

    Em vez disso, eles devem ser alimentados com derivados de carne que sejam altos em proteínas, moderados na gordura e baixos em carboidratos. Procure rações específicas para esse tipo de animal.

    Muitos donos dão comida de gato aos furões, o que não é recomendável. Outros oferecem uma dieta baseada em carne crua, o que pode expor o bichinho à contaminação por salmonela. E isso pode provocar diarreias, vômitos e até a morte.

    Pixabay

    8. Posso escovar o bichinho várias vezes por semana?

    Furões perdem muito pelo e correm o risco de ingerir boa quantidade dele. Esses pelos podem se acumular em forma de bolas no sistema gastrointestinal e levar a obstruções com potencial letal. Em caso de tumor nas glândulas, os furões perdem mais pelo ainda, em decorrência dos hormônios liberados pela doença.

    Para prevenir a formação dessas bolas de pelo, os animais devem ser escovados várias vezes por semana. E, em casos de perda de pelos excessiva, é necessário ministrar laxantes uma ou duas vezes por semana.

    9. Não me importo de ir frequentemente ao veterinário?

    Como cães e gatos, os furões devem passar por um checkup anual no veterinário. Isso aumenta a possibilidade de diagnosticar qualquer doença em seu início, o que melhora as condições de tratamento para que o bichinho tenha uma vida mais longa, feliz e saudável.

    Animais com mais de três anos devem fazer um exame de sangue anual. Isso para se certificar de que os níveis de açúcar e as funções de rins e fígado estejam em ordem. Após os cinco anos, o ideal é fazer checkups a cada seis meses, pois, quanto mais velhos, maiores as chances de contrair alguma das doenças para as quais têm propensão.

  • Back to top