5 maneiras de acalmar um gato assustado ou enlouquecido - Pet é pop

5 maneiras de acalmar um gato assustado ou enlouquecido

5 maneiras de acalmar um gato assustado ou enlouquecido
5 maneiras de acalmar um gato assustado ou enlouquecido
5 maneiras de acalmar um gato assustado ou enlouquecido (Foto: Ariana Suarez/Unsplash)

Acalmar um gato que está assustado ou tem explosões de energia repentinas pode ser complicado. Esse tipo de comportamento pode ser alarmante ou frustrante para os donos de gatos, mas, de acordo com o especialistas, esse é o comportamento natural deles.

Veja também:

+ Cientistas irlandeses estudam como acalmar cães com música, e você pode participar
+ Dono desesperado precisa de R$ 37 mil para salvar seu gato com doença misteriosa
+ Empresa lança camas caninas gigantes… para humanos!

Segundo o Dr. Nicholas Dodman, veterinário comportamentalista, essas explosões repentinas de energia são chamadas “zoomies”. O comportamento está ligado aos gatos por algumas razões.

Os gatos tendem a dormir quando está escuro como breu, mas ao entardecer, eles são mais ativos. O comportamento instintivo que eles podem exibir, como perseguir presas, se traduz em atividade dentro de uma casa confinada.

“Quando colocamos gatos em lares convencionais, estamos realmente limitando sua capacidade de explorar seu habitat. Os ancestrais do gato viviam em territórios muito maiores”, explicou o especialista ao site PetMD.

Se o seu gatinho de repente exibir um alto nível de atividade, aqui estão alguns métodos que você pode usar para ajudar a acalmá-lo:

1. Estrutura nas brincadeiras

Assim como os cães, os gatos precisam gastar energia e, se eles não tiverem maneiras viáveis ​​de liberar essa energia durante o dia, você pode encontrá-los correndo pela casa, pulando em cima de móveis e entrando em áreas que não deveriam.

Ao estruturar o tempo de brincadeira com seu gato, você pode reduzir o comportamento indesejado ou exagerado. Usar brinquedos para gatos, como lasers de LED interativos ou uma bola de tênis modificada para conter guloseimas, pode funcionar.

“Você está se divertindo, interagindo com seu gato e direcionando sua energia”, disse Dodman. Se você usar um ponteiro laser para brincar, certifique-se de incluir oportunidades para o gato pegar a “presa”, como pousar o laser em uma guloseima e deixar o gato pular sobre ela.

Sem a capacidade de capturar a presa, o jogo do ponteiro laser pode levar a distúrbios comportamentais obsessivos, como a perseguição de sombras, explicou o veterinário.

2. Crie harmonia no lar

Como os predecessores do gato doméstico eram caçadores solitários, ter uma casa com vários gatos ou outros animais de estimação pode estressar os felinos. Marcação de urina ou micção ou defecação inadequada fora da caixa de areia são sinais claros de estresse.

As personalidades podem mudar drasticamente dentro de uma casa sempre que o número de gatos na casa aumenta. Embora seja possível ter uma casa com vários gatos, há mais trabalho a ser feito para garantir a harmonia dentro do grupo.

Nesse caso, a behaviorista animal Jennie Lane recomenda consultar um especialista em comportamento animal experiente para ajudar a resolver problemas e pedir recomendações ao seu veterinário.

Seu veterinário analisará fatores como o histórico de um gato individual, gatilhos específicos para problemas e o início da vida de um gato. Não existe uma solução única para todos, mas Lane explicou que o aumento do exercício e a estimulação mental tendem a ajudar.

3. Aborde quaisquer problemas de hipertireoidismo

Nem todo comportamento indesejado de gatos é comportamental. Especialmente em gatos mais velhos, a razão física mais comum para a atividade hiperativa é o hipertireoidismo. Gatos com essa condição têm uma glândula tireoide hiperativa, que é o mecanismo de controle de seus níveis de energia.

Posteriormente, você terá um gato com rajadas de energia. “Os gatos com hipertireoidismo não dormem muito e terão um apetite voraz”, disse a Dra. Erin Wilson, veterinária e diretora médica da ASPCA de Nova York, ao site PetMD. “Geralmente ocorre em gatinhos idosos.”

4. Crie experiências seguras ao ar livre

Se os gatos não tiverem maneiras seguras e estruturadas de se divertir, eles descobrirão maneiras de usar essa energia por conta própria. Eles se sentem confinados e, embora seu gato possa procurar estímulo externo, perigos como tráfego e animais selvagens normalmente tornam essa solução impraticável.

No entanto, existem maneiras de fornecer atividades ao ar livre seguras para o seu gato. Lane recomenda usar um arnês para os gatos explorarem com você ou fornecer um recinto ao ar livre, que permite que seu felino desfrute de estar ao ar livre sem estar sujeito a predadores.

5. Aceite o comportamento

Especialistas em felinos concordam que, normalmente, quando os gatos exibem explosões repentinas de energia, geralmente é exatamente o que os gatos fazem. A primeira pergunta que os donos de gatos podem fazer é se o gato realmente precisa ser acalmado.

“Se os gatos estão apenas correndo e pulando por cinco minutos, não é necessário parar o gato”, ressaltou Wilson. “É o mesmo que impedir as crianças de correr e brincar.”

Mas quando a atividade se torna perigosa, como seu gatinho pulando de cima de uma geladeira, Wilson aconselha os donos de gatos a tentar redirecionar o comportamento com um brinquedo para perseguir ou até mesmo uma caixa de papelão vazia para manter o gato ocupado.

Do ponto de vista biológico, os donos devem esperar que os filhotes, especialmente aqueles com menos de 6 meses, tenham muita energia. Os donos que permitirem o comportamento verão o gatinho se acalmar em breve.

Os gatos têm uma necessidade de estimulação mental e exercício. Além de abordar quaisquer problemas comportamentais e conflitos domésticos insalubres, é importante lembrar que as explosões de energia são simplesmente uma parte de quem eles são.



  • Back to top