5 dicas mostram se você é um tutor responsável para o seu cão - Pet é pop

  • 5 dicas mostram se você é um tutor responsável para o seu cão

    cachorro passeio - Foto Pexels
    -->



    Dono beija seu cão - Foto Pixabay

    Segundo o Radar Pet, em um levantamento realizado pela Comissão de Animais de Companhia (Comac), do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), há no Brasil cerca de 52 milhões de cães, e 46% das famílias têm algum pet. Eles trazem alegria aos lares, mas também requerem cuidados.

    Adotar um animal é assumir a responsabilidade de ser um tutor, responsável pela saúde, alimentação, segurança e afeto que os animais precisam para uma vida saudável. “O conjunto de todos esses cuidados é o que chamamos de posse responsável”, explica Jaime Dias, médico veterinário e coordenador técnico da área pet da Vetoquinol, uma das empresas líderes em saúde animal no mundo.

    O tutor deve ter em mente uma série de recomendações para garantir o bem-estar do seu cão. Jaime Dias destaca cinco dicas essenciais:

     

    1) Check-up anual

    Dia do Veterinário: 7 coisas que talvez você não saiba sobre esses médicos

    O tutor deve levar o seu cão ao médico veterinário pelo menos uma vez ao ano para check-up. Somente o médico-veterinário tem o conhecimento necessário para realizar diagnósticos e indicar as melhores soluções. Uma visita à clínica pode, por exemplo, detectar o surgimento de doenças ainda em estágios iniciais, o que facilita o tratamento.

     

    2) Alimentação balanceada

    comida ração petisco cão cachorro

    O tutor não deve oferecer qualquer tipo de alimentos aos cães. Uma ração de boa qualidade e balanceada supre todas as necessidades do animal, exceto quando se faz necessário o uso de suplementos nutricionais. Além disso, alimentos como alho e a cebola, usados para temperar diversos pratos, podem ser tóxicos aos pets. Uma alimentação adequada também auxilia na manutenção de uma pelagem forte e bonita.

     

    3) Proteção contra pulgas e carrapatos
    Pixabay

    Até mesmo os cães que ficam quase o tempo todo dentro de casa correm o risco de contato com esses parasitas. Isso pode ocorrer, por exemplo, durante o passeio diário. O ideal é prevenir em vez de remediar. Dessa forma o animal ficará livre de alguns incômodos como a coceira, sintoma bastante frequente, além de estar livre das doenças causadas ou transmitidas por esses parasitas.

     

    4) Passeios diários

    cachorro buldogue francês passeio

    Os passeios fazem bem para a saúde emocional e física dos cães. Eles se divertem e ainda praticam exercícios, o que é importante para evitar sobrepeso e doenças que podem surgir devido à obesidade, como a osteoartrite, enfermidade crônica e degenerativa que promove desgaste das cartilagens e ossos das articulações.

     

    5) Suplementação adequada

    cão comida petisco

    Assim como os seres humanos, cada cão tem necessidades diferentes. “Por isso, alguns podem precisar de algum suplemento alimentar, para mantê-los saudáveis, promovendo assim uma melhor qualidade de vida aos animais”, explica Jaime Dias.

     

    Campanha

    A Vetoquinol criou a campanha #SigaEsseMovimento, que tem como meta incentivar a mobilidade e o bem-estar de cães. “Nosso objetivo é orientar os tutores sobre práticas cotidianas para o bem-estar dos cães e que podem inibir o surgimento de doenças”, explica Luciana Nishi, gerente da unidade de negócios PET & Equinos da Vetoquinol. Além disso, a Vetoquinol desenvolveu e atualiza uma enciclopédia online com curiosidades sobre pets. Trata-se do My Happy Pet.

  • Back to top